:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: October 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Outubro

Bonito por natureza

Acabo de voltar de um bar onde estava o Raí. As mulheres com quem eu compartilhava a mesa (formadas, mestras, doutoras e pós-doutoras), salvo exceção, perderam a compostura. Fica a dúvida: ele é realmente insuportavelmente bonito e gostosão ou as mulheres são condicionadas a executar a dança do acasalamento graças à presença do gene "Contigo" dominante?
11:58:31 - Zeno - 12 comentários

A viagem (2003)

Estou tendo um problema com o relatório de despesas de viagem que entreguei semana passada. O pessoal do financeiro está se recusando a fazer o reembolso. Trabalhar em multinacional é uma merda. Será que eles não entendem que aqui as coisas são diferentes? Não dá para importar as regras da matriz e simplesmente aplicá-las no Brasil. Eles precisam tropicalizar as normas, adaptá-las à cultura local. Mas que nada! Só querem é encher o saco por causa de bobagens que eles não entendem. E tudo por conta de uma mísera nota fiscal. Veja se há motivo para tanta pentelhação.Clique aqui
11:32:00 - Zeno - Comentar

Eu me lembro

Eu me lembro que o assassino era o Coronel Mostarda, na cozinha, com o cano pré-entortado. E que o Cabo Armeiro era importantíssmo e subestimadíssimo no “Front”. E que sempre havia o risco de se comprar uma falsificação no “Leilão de Arte” (ainda mais que as pinturas eram todas do polêmico acervo Chatô/Masp). E que Dudinka ficava na Ásia, perto de Omsk e de outros lugares improváveis. E que depois surgiram uns jogos chatos, com regras complicadíssimas, que não empolgaram ninguém.
08:44:00 - sattin - 1 comentário

30 Outubro

Mais autocrítica

"Quem nasceu pra Dan Top não chega a Nhá Benta".

(Provérbio chinês)
16:36:28 - Zeno - 4 comentários

Que não pairem dúvidas

Este blog ainda não sabe a que veio. Que nos desculpem os leitores. Na dúvida, estejam certos: há coisa melhor na Internet.
11:07:24 - kobashi - 1 comentário

Trem das Onze

Saudações acadêmicas

Ir sempre embora enquanto a condução ainda é farta,
que mais tarde o único táxi livre pode ser o da
autocomiseração, e esse nem morto.

Cláudio Deckes

(da série “Epígrafes que gostaríamos de usar”. Extraído a fórceps de um exemplar amarelado da finada revista Almanaque, de curtíssima e gloriosa existência em meados dos anos setenta. Não conhecemos o autor, mas uma googlada rápida reputa-o – ops – publicitário. Ou seja, ainda dá tempo.)
09:19:28 - sattin - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro que se usava Violeta Genciana para cortes e machucados em geral. E que uma amiga minha lambuzou seu cachorro recém-operado com o troço. O bicho, assustado, fugiu portão afora e ela teve de sair atrás aos berros, pela vizinhança: “Alguém viu um cachorro roxo passar por aqui?”.
08:43:00 - sattin - 2 comentários

29 Outubro

Alpes suíços

Quarta-feira é dia de buscar minha filha na natação. Enquanto eu esperava, vi no mural da academia várias fotos de uma malhação "diferente" que costuma ocorrer aos sábados. Eles colocam as bicicletas (aquelas que não saem do lugar) no estacionamento da academia, ao ar livre. Com a ajuda do professor e de uma trilha sonora especial, o pessoal pedala imaginando estar em lugares exóticos. Pelo que entendi, já tinham "ido" pedalar nos Alpes Suíços e em um vulcão em erupção. No dia do vulcão, o porteiro da academia refrescava os participantes com o esguicho de regar o jardim. Patético. E ainda tem gente que acha que a Internet é o paraíso da realidade virtual. Bobagem. Ninguém ganha das academias.
18:34:06 - kobashi - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro de “Neste Natal, lembre-se de mim, dê para quem ama um cofrinho da Delfin”, que depois se viu metida num escândalo financeiro e fechou, deixando centenas de milhares de garotos deserdados. Lembro também do “Poupão”, um boneco de plástico narigudo que servia de cofrinho. Mas não me lembro a serviço de qual banco ele estava. Os primeiros cofrinhos tinham, salvo engano, a tampa, a base e o corpo de metal, o que obrigava os garotos a enfiar uma faca sem ponta para forçar a fenda e surrupiar uns trocados. Depois substituíram o metal do corpo por papelão, facilitando sobremaneira a vida dos larápios infantis.
15:43:00 - sattin - 5 comentários

Bordão II

Pequena contribuição para um futuro Léxico Incontornável de Bordões para Uso em Mesas, Painéis, Seminários, etc.

"Fulano é um cretino de estrita observância".

Já foi empregado para designar fidelidades ideológicas, apenso a termos como "marxista", "liberal", "palmeirense", etc. Nos dias que correm, seu uso se direcionou para outro campo semântico: o das ofensas intencionalmente sensaboronas, já que ninguém quer mais briga de graça. Outros adjetivos podem, claro, ser utilizados, como "inepto", "néscio", "parvo", "inábil", etc.
13:17:22 - sattin - 4 comentários

28 Outubro

Eu me lembro

Eu me lembro do Poli, intimorato representante da indústria nacional de brinquedos contra o domínio imperialista do Lego. É provável que ele se beneficiasse das restrições alfandegárias contra o inimigo escandinavo, mas isso não diminuía seu valor à época. No setor das meninas, embate semelhante era travado entre a Suzi e a Barbie.
22:45:00 - sattin - Comentar

Contra o Canadá (2001)

Luis Fernando Veríssimo

Estou pronto para cumprir o meu dever cívico de hostilizar o Canadá, que não só não quer nos deixar vender nossos aviões como não quer mais comprar a nossa carne e ainda nos intriga com os Estados Unidos. Só não sei bem como colaborar com as represálias. Procurei em vão por algo canadense para quebrar, em casa. Não conheço nenhum canadense para, pelo menos, ligar para ele no meio da noite e xingar a mãe. [Leia mais!]
18:25:00 - Zeno - 1 comentário

Eu me lembro

Eu me lembro que na minha escrivaninha havia um tampo de vidro com algumas fotos recortadas embaixo. Só me lembro de uma delas, Raquel Welch trajando sumárias roupas de baixo. Ela foi minha primeira namorada, com vários corpos de vantagem sobre porquinhos-da-índia e outros bichos de estimação.
13:46:00 - sattin - Comentar

27 Outubro

Ninguém sabe nada

Trabalhei com um sujeito que tinha um bordão: "ninguém sabe nada". Estávamos lá no comecinho da Internet, fazendo um montão de coisas pela primeira vez e era natural que ninguém soubesse nada, tanto tecnologicamente como nas reações que deveríamos esperar dos primeiros internautas. Alguns anos se passaram e acho que o bordão ainda vale. A diferença é que na época a gente sabia que não sabia.
19:13:25 - kobashi - 3 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro da zebrinha da Loteca aos domingos (acompanhada de seu fiel escudeiro “o matemático Ôswald de Souza”). E que isso tinha uma importância tremenda na vida das pessoas.
19:00:00 - sattin - Comentar

Idéia brilhante

A Microsoft é uma das patrocinadoras da Conferência Internacional Software Livre Brasil. O que me espanta é que deve ter gente achando que foi uma boa idéia, uma "sacada". Gritar Palmeiras no meio de uma festa do Corinthians não é uma atitude, digamos, inteligente. É uma provocação óbvia demais, de uma deselegância sem tamanho e desnecessária. Capítulo infeliz para a indústria de tecnologia.
18:39:32 - kobashi - 1 comentário

26 Outubro

Eu me lembro

Eu me lembro que antes da invenção do delivery havia os sujeitos que passavam em frente das casas gritando “TIN-tureiro” e “Sa-RA-patel”, sem esquecer o tecléc-tecléc da matraca do biju e o apitinho fiuuuuííí do amolador. Eram os avós da Pamonha de Piracicaba.
17:51:00 - sattin - 1 comentário

23 Outubro

Dicionário Brasileiro de Quandos (2001?)

Para evitar que estrangeiros fiquem pegando injustamente no nosso pé porque prometemos e não cumprimos, está sendo compilado o Dicionário Brasileiro de Quandos (que já deveria estar pronto, mas atrasou ...), do qual foram extraídos os trechos a seguir:

DEPENDE
Envolve a conjunção de várias incógnitas, todas desfavoráveis. Em situações anormais, pode até significar "sim", embora até hoje tal fenômeno só tenha sido registrado em testes teóricos de laboratório. O mais comum é que signifique diversos pretextos para dizer "não".

JÁ JÁ
Aos incautos, pode dar a impressão de ser duas vezes mais rápido do que "já". Ledo engano; é muito mais lento. "Faço já" significa "Passou a ser minha primeira prioridade", enquanto "Faço já já" quer dizer apenas "Assim que eu terminar de ler meu jornal, prometo que vou pensar a respeito".
[Leia mais!]
19:07:00 - sattin - 4 comentários

22 Outubro

Eu me lembro

Eu me lembro quando a iluminação chegou à Rua Coronel Ferreira Lobo, na Vila Olimpia, hoje cortada pela Nova Faria Lima. Era 1970 e 2 ou 3 anos antes, lembra a minha mãe, a rua ainda era de terra. No dia em que ligaram as luzes, todos saíram de dentro de casa de pijamas. Lembro das famílias nos portões das casas geminadas, sorrindo e conversando pelos muros baixos, sem grades. Homens de robes e mulheres de peignoirs. Todos de chinelos. Salvo um ou dois garotos mais afoitos que eram rapidamente chamados pelas mães, ninguém passava do portão. E ainda estava claro. Os homens chegavam em casa mais cedo naquela época.
21:07:00 - kobashi - Comentar

Eu te lembro...

... que esta seção tem como dívida explícita o “Je me souviens” de Georges Perec, o livro de Geraldo Mayrink e Fernando Moreira Salles e a série “Ich erinnere mich” publicada no Die Zeit ao longo de 1999.
20:09:00 - kobashi - Comentar

Inclusão digital

Estou enfiado até o pescoço nessa história de inclusão digital. CDISP, Sampa.org, Usina.org, Ação Digital... Argh! Não aguento mais. Tenho a sensação de que deveríamos banir a expressão 'inclusão digital' e condenar qualquer um que a use a 100 anos de trabalhos forçados.

Outro dia, conversando com um ativista sério dessa história toda, disse que andava em crise com esse conceito, se isso nos levaria a algum lugar, etc. Meu espanto foi ele ter respondido que nunca acreditara de fato em 'inclusão digital', que pra ele era só uma oportunidade para poder organizar as comunidades, tirar os jovens da rua, colocar o pessoal para pensar na sua condição de excluídos, blá, blá, blá... Atônito, quando eu perguntei porque ele nunca havia me dito isso, ele simplesmente respondeu:

- Você nunca me perguntou.

Dorme com isso.
19:15:20 - kobashi - 5 comentários

Feliz aniversário, Hernani!

Este blog nasce por insistência do Hernani – www.marketinghacker.com.br. Mentira. Ele não me provocou mais do que uma ou duas vezes, mas, esperto, sabia que não tocar no assunto era a melhor forma de me manter pensando nele. Pois aqui está graças à sua estratégica não insistência. É aniversário do Hernani e de presente pedi que ele instalasse um Nucleus pra mim. Nucleus instalado, só me resta começar.
16:58:05 - kobashi - 2 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: October 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.