:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.

26 Novembro

Cherry 2000: ela é loira, linda e jovem para sempre

cherry
O ano é 2017 e a piada começa aí. O filme é de 1987 e vamos lembrar que na época as pessoas ainda achavam que o mundo do século XXI seria apocalíptico, baseado em tecnologias por serem descobertas, que a violência estaria fora de controle e que ao redor das cidades existiriam zonas onde o estado e a lei não entrariam. E Cherry 2000 é uma andróide loira, linda e jovem para sempre. [Leia mais!]
00:46:02 - Mathieu -

24 Novembro

Caro Diário (1994)

No terceiro episódio do filme, após mais uma consulta médica que se sucedia a uma série de outras num rosário sem fim, o personagem de Nanni Moretti diz a si próprio: “O médico receitou os remédios e disse: lembre-se! Só depende de você. Depende de mim. Tudo depende de mim. O médico disse que devo colaborar. Tudo depende de mim. E se depende de mim, estou seguro de que não vou conseguir.”

(da série “Autocríticas com as quais nos identificamos”)
[Leia mais!]
12:20:03 - Zeno -

20 Novembro

Corpos Ardentes (1981)

Outro filme de cabeceira, a releitura fake e inteligente dos filmes noir feita pelo Lawrence Kasdan, com o William Hurt, ainda com cabelo, no papel de Banana, e Kathleen Turner, antes do regime de engorda, no papel de Gostosona Traiçoeira (a certa altura ela diz pra ele: "Você não é muito inteligente. Gosto disso num homem"). O filme é cheio de rimas visuais, tem uma trilha sonora jazzística do Mestre John Barry e diálogos que poderiam ter sido escritos pela dupla Billy Wilder/Charles Brackett. É tudo tão bom que até o Ted Danson está sensacional, como um promotor de quinta que passa o filme dando pulinhos e sonhando em ser Fred Astaire. [Leia mais!]
18:42:44 - Zeno -

18 Novembro

Garganta Profunda (1972)

Eu me lembro da Linda Lovelace e de suas amígdalas extraordinárias. Me lembro também que passei semanas sonhando com aquilo. E que, dentro do cinema, a gente tinha de prestar atenção nas poltronas antes de sentar, pra mó de evitar dissabores úmidos.

(da série: “Bom, todo mundo deve ter sua lembrança do Garganta Profunda”)

(da série II: “Filmes esquisitos” encontra “Je me souviens”)
18:09:07 - Zeno -

Crônica do Amor Louco (1981)

Eu me lembro do Belas-Artes da Consolação antes do incêndio no início dos anos oitenta. E que estava passando “Crônica do Amor Louco”, do Ferreri, que virou filme de cabeceira desde então. E que o personagem principal, alter ego do Bukowski, depois de um rala-e-rola animado com uma fulana que ele acabara de conhecer no ônibus, dizia “She ate me up like an enchilada”. O moço das legendas, cônscio da ignorância brasileira sobre a culinária mexicana, saiu-se muitíssimo bem com essa: “Ela me comeu feito uma lingüiça”. Depois, na versão pirata que circulou nas locadoras no final dos anos oitenta, a poesia havia sumido: “Ela me comeu inteirinho”. Não sabemos como está na nova cópia em DVD, recém-lançada pela Versátil. Se alguém tiver o DVD em questão e puder nos contar como ficou, fará um grande favor ao blog e à cultura cinematográfica e poética de todos.

(da série: “Filmes esquisitos” encontra “Je me souviens”)
18:00:02 - Zeno -

12 Novembro

Psicose (1998)

A melhor coisa da refilmagem de Gus Van Sant do clássico de Hitchcock era o slogan usado pela Universal para promover o lançamento do filme: "Check in. Relax. Take a shower."
13:32:50 - Zeno -

07 Novembro

A Ilha do Dr. Moreau

Não a versão de 96, com o banana do Val Kilmer e, coitado, Marlon Brando com mais de 200kg, mas a de 77, com o Burt Lancaster no papel título (de Dr. Moreau, não de ilha) e Michael York. [Leia mais!]
10:59:40 - kobashi -

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2003 :: :: :: :: próximo mês ::.