:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Tectum Intuentes

Ociosidade produtiva - textos reflexivos, anotações íntimas, sacanagens e demais ressentimentos.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.

26 Março

Serviço de utilidade pública

E dia 02 de abril tem show – única apresentação – do Oswaldo Montenegro em São Paulo, no Via Funchal, lançamento do CD "Letras Brasileiras 2". Deixe de ir.
11:52:25 - Zeno - 8 comentários

24 Março

I'll be there for you

Esta é pra Friendsmaníacos. Ou pelo menos para aqueles que sobreviveram às ultimas temporadas e que têm as três primeiras em alta conta. No episódio do flashback da terceira temporada (agora que a caixa de DVD’s foi lançada, fica mais fácil), ao final da história, a Rachel fantasia como seria uma sessão de sexo selvagem com aquele sujeito que estava jogando bilhar no bar – ninguém menos que o Chandler. Ela entra no bar, diz pro rapaz que só quer sexo descompromissado e dá um soco numa jukebox que está por lá. Pois bem, a música que começa a tocar é "Time of the Season", dos gloriosos e esquecidos The Zombies, grupo britânico pré-psicodélico que fez algum sucesso na segunda metade dos anos sessenta. Ouça um trecho aqui. A letra é essa: [Leia mais!]
16:43:35 - hubbell - Comentar

23 Março

Ancienne Cuisine

Somos antenados. Assim como já percebemos que o sucesso de um blog depende, em boa medida, da adoção de um ou mais animais de estimação (veja aqui nosso post a respeito), notamos também a boa receptividade, junto ao mundinho blogger, de posts com receitas culinárias, experimentos gastronômicos e pesquisas sobre a boa mesa. Imbuídos de espírito alquímico e sentimento gregário, resolvemos compartilhar aqui uma receita perpetrada lá em casa, ontem à noite. Pegue um pacote de pão de queijo pronto e congelado, de preferência Forno de Minas, tamanho coquetel, versão clássico (atenção: não compre, por distração, o pão de queijo com sabores, tipo ervas finas ou cebola, porque obviamente isso interferirá no resultado). Ponha os belezuras no forno elétrico, temperatura dois terços da máxima. A preferência pelo forno elétrico se justifica por acharmos que ele deixa os pães mais morenos por fora e macios por dentro, como aqueles que você comia no Solar Nossa Senhora do Rosário, em Ouro Preto. Enquanto os pães assam, frite três a quatro hambúrgueres, desses de caixinha – mas de carne bovina, não os que têm carne de frango ou de outras procedências nebulosas misturadas. Pode ser qualquer sabor, normal, light, tempero suave, etc., mas preferimos o BBQ, barbecue, por ser mais trash. Depois que sua cozinha esfumaçar a ponto de não ser mais possível enxergar o fogão, tire os hambúrgueres da frigideira e pique-os em pedaços irregulares de três a quatro centímetros. Pegue os pães de queijo, abra-os não com a faca mas com as mãos (cuidado, eles estão quentes!), pra que fiquem com uma aparência descuidada, e enfie em cada um deles um pedaço do hambúrguer barbecue. Coma imediatamente, acompanhado daquela latinha aberta de Coca esquecida em sua geladeira. Fica uma delícia. Com o sucesso garantido junto aos seus, você poderá bradar: te cuida, Nigella Lawson! Ou melhor, pode deixar que a gente cuida dela.
12:17:11 - hubbell - 5 comentários

18 Março

Raízes botânicas

O Mestre Sérgio Buarque de Holanda volta a freqüentar as páginas e pixels da imprensa por conta do novo filme de Nelson Pereira dos Santos, "Raízes do Brasil", baseado no livro inaugural do "pai do Chico Buarque", como ele mesmo dizia que era conhecido depois do furacão d"A banda" e dos festivais da Record. Para homenageá-lo, este verborrágico blog cede a palavra a um outro mestre, Manuel Bandeira, que sabia das coisas com muito mais propriedade: "Há uns poucos, muito poucos escritores nossos, cuja formação nos dá a impressão de milagre. Como terá sido possível que chegassem a tamanha força e tamanha disciplina mental dentro do nosso atraso e da nossa desordem? Três sobretudo me espantam: Machado de Assis, João Ribeiro e Sérgio Buarque de Holanda. No entanto, são todos três bem brasileiros e até bem das suas províncias: Machado, bem carioca; João Ribeiro, bem nordestino; Sérgio, bem paulista."

(crdt da citação: francisco de assis barbosa)
18:26:29 - Zeno - Comentar

17 Março

Galeria batuta

Annette Selle

Uma amiga mais cosmopolita do blog, dona de uma galeria de arte em Berlim, é responsável pela representação, em solo alemón, de um punhado de pintores e escultores de diversas nacionalidades, dentre eles a brasileira Frida Baranek com suas esculturas fiadas e desfiadas. O quadro que ilustra este post foi pintado por outra artista da galeria, Annette Selle, pintora berlinense da "nova geração" (o que quer que isso signifique) que, aos nossos olhos medianamente educados, merece acompanhamento futuro.
20:44:04 - Zeno - Comentar

15 Março

As parábolas de Pelé, Niemeyer e César Lattes

Além de sua principal atividade profissional que é abrilhantar o blog com posts crípticos e poéticos como os vistos abaixo, nosso ilustre membro John Self ocupa suas horas de lazer rabiscando artigos (sob pseudônimo) para a bela revista bimestral ARC DESIGN, publicada pela Quadrifoglio Editora e disponível para compra ou furto nas melhores bancas e livrarias. Nos três últimos artigos, publicados nos números 32, 33 e 34, o que se pôde ver foi uma aula de arquitetura contemporânea que trouxe de brinde a generosa radiografia de um país que já foi sem nunca ter sido, ou que nunca foi e que poderá, um dia, voltar a ser. Se o mundo se divide entre os crentes na humanidade e os que querem sair por último para apagar a luz, nosso colaborador aposta que o "país da delicadeza perdida" (título de um documentário sobre Chico Buarque há alguns anos) ainda fará jus aos que teimosamente o defendem apesar da prova contrária e cotidiana da iniqüidade chinfrim. É pouco, é quase nada, mas ao menos suspende, pelo tempo necessário ao restabelecimento de nossa sanidade, a frase de Büchner anotada e citada pelo Kafka: "há esperança, sim, mas não para nós".
13:49:04 - Zeno - Comentar

12 Março

Guernica

Na cobertura feita pela TVE espanhola sobre o atentado em Madri, mencionou-se rapidamente um fato que não foi registrado pelas emissoras e jornais brasileiros. Durante o trabalho de resgate dos corpos, podia-se ouvir os celulares das vítimas tocando sem parar, sem que ninguém os atendesse. Mesmo depois, com os corpos retirados, alinhados e cobertos, os aparelhos continuavam a tocar.
18:46:03 - Zeno - 1 comentário

11 Março

É sol, é sal, é sul

A ativa leitora interneteira irmã b. sugere o uso da expressão "The natives are restless tonight", citada num post abaixo, para descrever as recentes encrencas "bandidos e mocinhos" (atribuições a bel-prazer) ocorridas no balneário carioca e acompanhadas com gula pela imprensa televisiva e impressa dos dois lados da Dutra. Não podemos, e por razão bem prosaica: nutrimos paixão primeva pelo Rio de Janeiro, daquelas refratárias a qualquer argumentação "um chopps e dois pastel" pautada pelo bom senso urbanístico e geográfico. A cidade permanece fiel e alheia à descrição feita por Reinaldo Moraes há mais de duas décadas (citação de memória): "O Rio de Janeiro é uma miragem na cabeça de um paulista". Em nossa versão geograficamente mais modesta, "O Leblon é a melhor cidade do interior que conheço". E se algum antropólogo ou pesquisador audaz quiser realmente conhecer o habitat Discovery Channel de muitos "restless natives", sugerimos passeio rápido a qualquer dos bares do Itaim, Vila Nova Conceição e adjacências descritos em nosso post sobre o Triângulo das Bermudas paulistano.
11:57:59 - hubbell - 3 comentários

10 Março

O desassossego dos nativos

Manias não se antecipam.
[Bacana começar um texto assim, de modo peremptório, né não? Lembro de ter lido em algum lugar que Guillermo Cabrera Infante, nos tempos em que ganhava a vida rabiscando críticas fílmicas (aliás, por que ninguém, nas terras do Bush Júnior, reedita o volume que reúne os textos dele sobre cinema, "Um ofício do século XX"?), gostava de começar suas resenhas com o juízo principal acerca do filme estampado logo na frase inicial, algo como "O último filme de Quentin Tarantino é obra de um adolescente de 15 anos que recebeu de presente uma Ferrari no valor de 55 milhões de dólares".]
Mas voltemos às manias. Existem as pessoas que encasquetam com letras de música. Outras, com melodias assobiadas à exaustão em manhãs escritoriais ou carros fechados. Eu cismei há dias com uma frase que li no blog de um canalha já citado aqui, o inexcedível Ruy Goiaba : "The natives are restless tonight", que, além de título de música do Horace Silver, minha vasta ignorância supõe ser retirada de algum luminar da literatura dita colonial (Kipling, Maugham, por aí) ou de filme ruim do James Ivory. O contexto para a frase, continua minha suposição, está montado da maneira mais óbvia possível: uma casa de fazenda imensa, localizada em algum país africano iniciado com o prefixo "ex-" (ex-Zaire, ex-Alto Volta, etc), uma varanda iluminada em âmbar, um europeu suarento e com roupas pretensamente "adequadas", tambores ao fundo, movimentação de pessoas em frente à casa e, finalmente, a deixa para a tal frase, "The natives are restless tonight". O difícil é encontrar um jeito de incorporar a frase ao meu cotidiano lingüístico, como aquela mencionada aqui no blog, na resenha do filme "Encontrando Forrester", "unworthy of this reader", que ainda e também não consegui usar. Sugestões, como sempre, serão bem-vindas.
19:37:21 - hubbell - 11 comentários

06 Março

dadiretoria

Pequena Contribuição Para o Aclaramento de Novas Expressões da Língua Portuguesa

"dadiretoria"

Adjetivo de dois gêneros e de dois números recentemente incorporado ao idioma pátrio, tem origem geográfica facilmente determinada - último andar, elevador privativo, sala ricamente adornada e acarpetada. Embora seu uso tenha se expandido com rapidez para designar os mais diferentes objetos e situações, ele comporta bem pouca dubiedade semântica: é sempre algo ou lugar que se encontra acima, além ou ao lado daquele que o emite. Abonações: "Essa picanha é dadiretoria!", Luiz Dulci. "A festa depois da cerimônia foi dadiretoria", Peter Jackson. "Tive de bancar vários Petrus dadiretoria no jantar de ontem com meus amigos lobistas", João Carlos Di Gênio. "Os recentes atentados mostraram que a situação em Bagdá não está dadiretoria", Condoleezza Rice. Ainda não há registro de ocorrência de adjetivos similares, gerados a partir de matriz semelhante, e que podem perfeitamente aparecer em breve: dagerência, dosmotoboys, dachefia, etc.
10:25:45 - Zeno - 1 comentário

03 Março

Marte e o gato

Descubro através de um informante que essa história de água em Marte é tudo conversa. No melhor estilo o gato subiu no telhado estão começando a nos contar a verdade. Em breve saberemos que já houve vida em Marte, embora microscópica. Depois seremos informados que não era tão microscópica assim e um belo dia estaremos sentados num restaurante ao lado de um lagarto verde saboreando um belo espaguete com frutos do mar - ao que diremos espantados:

- Meu Deus, ele colocou queijo!
11:04:57 - Mathieu - 1 comentário

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.