:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Tectum Intuentes

Ociosidade produtiva - textos reflexivos, anotações íntimas, sacanagens e demais ressentimentos.


.:: mês anterior :: :: :: :: December 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.

23 Dezembro

Observação solta, a propósito de uma visitinha às Lojas Americanas

O mérito do George Foreman foi o de apresentar ao churrasco o plano inclinado.
07:24:00 - Zeno - 1 comentário

22 Dezembro

Observação solta, a propósito de um Free Jazz anos atrás

Em shows com grande procura, os lugares na platéia costumam se dividir em aquém e além do valor de quem os ocupa, isto é, lugares que o subestimam ("mas eu sou melhor do que este lugar onde me puseram") e lugares que o promovem psiquica ou socialmente ("sentado aqui, sinto-me uma pessoa melhor do que realmente sou"). Só como registro, o meu, naquela noite e graças à gentileza de uma amiga jazzística, era decididamente do segundo grupo.
08:15:00 - Zeno - Comentar

09 Dezembro

Levando a vida no arame

Não sei quanto à seleta audiência do blog, mas eu nunca tive a chance de dispor de um armário de pastas suspensas para organizar a vida, a papelada e as receitas de pasta ao limone que se acumulam sobre a mesa de trabalho. Até a semana passada, quando ganhei um mimoso mini-colosso de três gavetas, com aquelas pastinhas amareladas de inspiração nietzschiana, boiando na estrutura de fios de arame como quem dança à beira do abismo. Tem gente que bota apelido em carro, em geladeira, e mesmo em órgão genital masculino ou feminino (Chiquinho, Dona Maricota, Portento e Pombinha, respectivamente). O meu armário suspenso, branco e de rodinhas, já ganhou merecidamente o seu, antecipando o uso que se fará dele: Arquivo Oblívio.
07:42:10 - Zeno - 4 comentários

03 Dezembro

The waste land, by José Sarney

Voltando à programação normal do blog, destaque para o anúncio de página dupla na revista da Net de dezembro, com fotos de Lorena Calábria e Laurent Suaudeau e o texto abaixo. As notas de pé de página são opcionais:

"O Banco Santos acaba de reinventar a relação cliente-banco (1). A partir de hoje, você tem uma equipe de profissionais (2) que usa inteligência (3) para atendê-lo ao telefone (4). Um Internet Bank (5) claro e objetivo. Um gerente (6) com um grupo seleto de clientes (7), para saber o que você realmente quer (8). E um programa de premiação (9) que leva em conta sua maneira de viver (10). Este é um banco que vai além do banco (11), para estar cada vez mais próximo de você (12). Bem-vindo ao Banco Santos. Seu estilo de vida (13)."

(1) Programa Xilindró de Adesão ao Calote (Proxaca).
(2) Advogados criminalistas.
(3) Dinheiro não-rastreável.
(4) Em horários determinados, na presença de um guarda e com vidro blindado.
(5) Código Morse, para conversar com os vizinhos de cela.
(6) Delegado Adamastor.
(7) Pessoal do Bloco C.
(8) Pacote de cigarros e uma lima escondida num bolo de pistache.
(9) Redução da pena por bom comportamento.
(10) Banho de sol das 9:00 às 10:00.
(11) Possível conversão evangélica.
(12) Túnel de fuga, projeto de Ruy Ohtake.
(13) Calça bege, sem camisa.
08:42:21 - Zeno - 2 comentários

02 Dezembro

40 é pouco

Há exatos quarenta anos, um conluio singular de forças cósmicas, traduzido na improvável mistura de sangue italiano e japonês, trouxe ao mundo aquele que seria condenado a passar seus dias protegendo os fracos, os oprimidos e as garotas de busto 48 and up: Julien Sorel, mentor, fundador e mantenedor do blog Hipopótamo Zeno.

Em sua cruzada contra as desigualdades no mundo, Sorel saiu da bucólica Vila Olímpia dos anos sessenta, botou o pé na estrada, pegou carona, alugou e destruiu Fords Thunderbirds com o cartão de crédito do pai, conheceu países, cozinhou centenas de pastas al limone para os famélicos de Angola e mostrou por A mais B que a injustiça não ostenta passaporte e deve ser combatida em todas as frentes, seja em Bangalore, seja numa mesa de bar da Vila Mariana. Essa sede insaciável, aliada ao conhecimento aprofundado de diferentes mumunhas tecnológicas (é dele a criação de um dos primeiros websites da Internet brasileira; além disso, conserta aspiradores de pó como ninguém), rendeu-lhe o apelido que o acompanha até hoje e que o levou às páginas centenárias da grande imprensa: Datena Digital.

A Economia o quis, a Publicidade o quis, o Terceiro Setor o quis, até mesmo a Apple o quis, mas Sorel, impávido, continuou perseguindo a única atividade em que realmente é feliz: a Procrastinação Exercida em Jornadas de Trabalho de 12 Horas. Como um Vanderlei Cordeiro de Lima em reta final de maratona, são poucos os credores irlandeses que conseguem alcançá-lo, e estes felizes atletas vêem suas duplicatas honrosamente pagas com o suor olímpico da linha de crédito a 12% ao mês.

Sou seu amigo por vias tortas, que nas retas seu mau humor lendário não costuma errar o alvo. Uns o chamam de azedo. Outros, cruzando o espectro gustativo da língua, o chamam de ácido. Eu fecho a boca e só grunho: Mrmmrgtrr, que, traduzido, é o seguinte: Sorel é um sujeito batuta, dos poucos capazes de surpreender o interlocutor, qualquer que seja ele, com frases e chistes que misturam literatura, keynesianismo e escatologia da braba numa mesma linha de raciocínio. Não é para qualquer um. Aliás, não é pra quase ninguém que eu conheça. A imitação de alguém que se admira, seja nos gestos, seja em bordões irritantes, seja na marca de uísque que se bebe, sempre me pareceu uma forma sincera de homenagem. Exerço-a diariamente com ele.
12:02:27 - Zeno - 18 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: December 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.