:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: April 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

29 Abril

Sociedade dos poetas mortos-vivos

Evil (2003). É vil mas é bom.
16:58:51 - Pinto -

27 Abril

Resenhas de poucas palavras (a pedidos)

Ken Park (2002). Deixe de ser frouxo, perca essa vergonha boba da balconista e dos eventuais clientes da locadora e pegue logo um filme pornô decente, com enredo e intercursos melhorzinhos.
21:13:50 - Pinto -

Vai uma sugestão prum roteiro de curta-metragem aí?

Um restaurante italiano que já teve dias melhores. Hora do almoço, algumas mesas ocupadas, dois garçons andando pelo salão. Ele está sozinho, esperando, numa mesa com toalha vermelha, um paliteiro quebrado e restos da beringela do couvert. Ela entra no restaurante. Ele sorri e repara que ela engordou dois ou três quilos, nos quadris, desde que deixou de fumar. Ela se senta, os dois conversam um pouco, o garçom mais novo chega e pergunta o que vão beber. Ele pede uma água, ela pede uma taça do vinho da casa. O garçom: "Tinto?". Ela faz que sim com a cabeça. O garçom: "Seco ou suave?". Ela: "Seco, claro". O garçom se afasta, ele pega na mão dela e diz: "Passei a vida esperando uma mulher que não titubeasse com essa pergunta". Ela: "Mas essa é muito fácil".

Final 1: Ela se levanta da mesa e fala em voz alta, para o salão: "Alguém aqui prefere vinho tinto seco ao tinto suave?". Algumas pessoas olham, dois ou três casais conversam entre si, um grupo de mulheres numa mesa grande está rindo e fazendo sinais de concordância. Ela se senta novamente e diz: "Pronto. Você tem agora mais cinco ou seis mulheres com quem se casar".

Final 2 (pro DVD): Ele continua segurando na mão dela e fala em tom sério: "Então me diz: você acha realmente que eu pareço o Keanu Reeves?".

(crdt carol e matthieu)
08:41:23 - Zeno -

23 Abril

altamira e seus rabiscos no teto das mentes e no coração das trevas

acabados de sair das memórias dos garotos, maiores do q. entramos, talvez valha o couto observar q. toda obra de arte é llena de defectos.
e, prá piorar, escrita em quíchua, às vezes.
como ela propõe algo q., sendo um novo organismo de saber, nús américa a visada e assim nos ilude (seu ofíssil), disfarçada de uma organização q. nela ñ passa de uma boa e honesta pergunta, ficamos todos a cobrir ela de porradas conceituais.
todas imediarteamentes dela filhas.
e inseguras teenagers como sói, doidas p/ se afirmar adulterada/ maduras de per si.
ah, a individuação burguesa...
e cobrando-lhe uma digni// q. é tanta e tal q. nem a percebem.
é nesse infantilismo q. viceja, sobranceira, elegante e solerte, a direita da fantasmagoria ideológica.
e é precisa/e aí q. nos viemos f.. uns a os outros nesses últimos 500 anos.
é malandra essa direita...
ou, como dizia, indagado sobre a pp. frequencia em festas de ricos noviorquinos, o pédecana e honesto norman mailer:
"ah, mas como cheiram bem as mulheres de direita..."
no q. concordariam nossos, então, viajantes e tão bela/ imensos garotos.
04:24:41 - John Self -

09 Abril

"O Clã das Adagas Voadoras" (2005)

Vá ao cinema chinês, mas não me chame.

Serve para "Herói" (2004) e "O Tigre e o Dragão" (a.k.a. "O Bonde do Tigrão", 2000).
10:22:00 - Pinto -

04 Abril

Corra, Harry, Corra!

Noir londrino
Primeiro, uma confissão boboca: "Sombras do Mal" ("Night and the city", 1950), do Jules Dassin, é meu filme noir de cabeceira, o que significa dizer que é meu filme predileto num gênero em que arrasto na memória maltratada pelo menos uma dezena de obras-primas impecáveis. Depois de tentar por uns tempos escrever um artiguete sobre o filme, para alguma publicação incerta, desisti graças a uma alma caridosa de Dublin, Irlanda, que com o pseudônimo de Alice Liddel escreveu um texto excelente sobre o filme nos User Comments do IMDb. Os anos se passaram e a sorte me agracia com o lançamento recente do filme em DVD, pela superlativa Criterion americana, numa edição tão boa que chega a ser obscena. Só posso então recomendar aos abonados leitores do Zeno a compra imediata do filme (nosso jabá não remunerado continua sendo a CD Point), com o sacrifício das economias sendo amplamente recompensado pela avareza do personagem principal, o escroque promotor de lutas Harry Fabian, de quem se diz, a certa altura do filme (pelo vizinho boa-praça que quer comer a namorada dele): "Harry é um artista sem arte". Frase, aliás, que vi ressurgir outro dia no jornal, na boca de um escritor alemão, Hans-Ulrich Treichel, que afirma por sua vez tê-la lido num texto do Truman Capote. Fica a dúvida, mas entre Capote e Fabian, sou o Harry até o último assalto.
21:42:16 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: April 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.