:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Iluminuras

Mulheres pelas quais tropicamos.


.:: mês anterior :: :: :: :: May 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Maio

É pique! É pique! É pique!

brigadeiro e cajuzinho

Quem fez aniversário (23 velinhas) neste domingo, 29 de maio, foi a Ana Beatriz Barros, mas quem ganha o presente é você: http://anabb.free.fr/Menu.htm. E mais uma descoberta: a moça é de Itabira, Minas, terra do Drummond, que se referia à cidade natal como "noventa por cento de ferro nas calçadas/oitenta por cento de ferro nas almas". Se ele conhecesse a moça, mudava a percentagem.
10:43:06 - Zeno -

25 Maio

Peet stop

Amanda Peet

Amanda Peet. Tanta coisa desimportante merecendo relevância aqui e a gente se esquecendo do principal.
10:00:00 - Pinto -

18 Maio

Verde que te quero verde

Green

Eva Greennnnnnnnnnnnnnnnnnnhphffffffffffffhhhhhhhhhhhhaaaaaaaaaaaaaaaaaaa... ploft!
21:30:05 - hubbell -

07 Maio

Diga bundinha, com a Globo diga

Bundinha

Caldeirão do Hucku, digo, Huck. Todo sábado, o espetáculo mais abundante da TV brasileira, a começar pelo formoso rosto do apresentador. E, sim, este blogue aqui já teve melhor nível, sim.
06:30:00 - hubbell -

05 Maio

Livro é cultura

lombada encadernada

(Rio de Janeiro - AP, Reuters e HZ) Fontes próximas a João Ubaldo Ribeiro confirmam os rumores da semana passada: segue firme o alvoroço nas sessões vespertinas de chá para garantir a indicação de Ana Beatriz Barros à Academia Brasileira de Letras.
19:56:26 - hubbell -

03 Maio

Cântico dos cânticos, 4:5

Naturgabe

(Vaticano - EFE, Reuters e HZ) Fontes próximas ao Sumo Bento confirmam os rumores da semana passada: seguem firmes os estudos para a canonização de Ana Beatriz Barros.
10:07:31 - hubbell -

02 Maio

A cantora Teflon

Marina Lima

Pecha nenhuma pega nela. Na época em que achava que o mundo fazia charme, tinha aquele cabelo "ruim", alisou e lhe caiu bem, natural (ao contrário da Ana Paula Padrão, que atravessou o mesmo processo exibindo as madeixas tensas das surras que levam). Depois acrescentou o Lima ao nome e ninguém sequer lhe acusou de pirotecnia numerológica. Assumiu o lado bi (?) sem fugir da raia nem precisar recorrer a estereótipos como coçar o saco no palco, viu, Ana Carolina? Viu, Zélia Duncan? Aprendeu, Calcanhoto? Posou pelada, mostrou que é muito da gostosa, e nem por isso passou a cantar com a bunda ou prosseguir carreira na Sexy. Trocou estádios por teatros de bolso mantendo a mesma dignidade artística. Não bastasse ser inteligente por si, ainda é irmã do Antônio Cícero. Não ficou menor por nada disso. E segue isolada a melhor cantora do pop nacional, sobretudo depois que a Cássia partiu (e na sempre presente ausência da Elis, é claro). Eu abro os braços e faço um país com Marina Lima.
17:40:50 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: May 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.