:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


A Busca do Graal

Incursões etílicas que não poupam esforços para determinar a exata localização do Bar Absoluto.


.:: mês anterior :: :: :: :: June 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

28 Junho

As pirâmides do Itaim

Não sei se interessa a alguém, mas neste fim de semana fato inédito ocorreu em festa animada num "lounge" (perdão) do Itaim/SP: os cinco membros ativos do blog se encontraram presencialmente pela primeira vez num mesmo espaço físico e "síncrono". Faíscas saltaram, antigas rixas renasceram, cobranças foram lembradas, mas quem sofreu mesmo foram as garrafas de Johnny Walker, abatidas uma a uma até que o estoque do bar pedisse arrego e antes que o barman deixasse de compreender o idioma que empregávamos. Mais não lembro, porque realmente o estado em que nos encontrávamos ao final da festa era lastimável. Ah, sim, outra lembrança: como a festa era por conta do aniversário simultâneo de 40 anos de quatro moças, um fulanim mais exaltado subiu no balcão do bar e exclamou, lá pelas tantas: "Do alto destas mesas, 160 anos vos contemplam".
08:15:00 - Zeno -

27 Junho

Vegas

Pegue a Av. Paulista em direção ao Centro. Vire à direita na Augusta e desça até a região dos puteiros. Do lado direito, uma casa vai se destacar pela ausência de luminosos e nome na porta. Na dúvida, não pergunte a uma das meninas da região. Depois do sorriso largo enquanto vc desce o vidro, a cara fecha. Vegas? Não conheço. É que a casa pratica concorrência desleal: as meninas de lá não cobram. Na entrada, uma hostess pede para escolher entre $15 de entrada ou $25 de consumo adiantado. Vá de $25. Você vai ganhar um ficha de cassino, a moeda local. Bar, sofás, um palco pequeno, uma pista no andar de baixo e uma área externa que não vi mas que me garantem existir. Também não vi o show, mas não importa. A música é boa, a pista estava lotada e o bar, um balcão imenso, deu conta do recado. Garotas de roupas e cabelos pretos, franjas de 2cm e com a pele branquíssima escondida por tatuagens crescentes disputam espaço com garotões em camisetas apertadas e calças largas, meninos e meninas do Equipe e uns trintões de vários sexos, lindos, lindas e feios. Não é gay, não é hétero, não importa. Early adopters, pós-modas, first users, descolados e gente que não sabe o que isso significa. É o local do qual você vai ouvir falar no mês que vem. Vá antes que gente como eu ou você estrague o lugar. Não chegue antes da meia-noite.

Nota: 10 graals até a semana que vem, 8,5 graals até o final de julho, depois -0,5 graals por mês até atingir 4,5 graals ou fechar, o que acontecer primeiro.
13:40:50 - Sorel -

15 Junho

a insuportável leveza do ser


c/ vcs., o almeida.
digníssimo nº 1 da av. ana costa, santos, sp, brasil, américa do sul, terra, desde priscas eras como atesta a foto, circa 1915.
costumava ter uma porta itararé no banheiro, por onde os elegantes e sagazes meliantes locais se evadiam da polícia por meio da barbearia anexa. [Leia mais!]
18:16:14 - John Self -

05 Junho

Drosophyla

Lugarzinho escondido ali na Pedro Taques, minúscula travessa da Consolação, cuja imaginativa decoração kitsch, realçada pela iluminação predominantemente vermelha, torna discreto qualquer delírio almodovariano: destaco o "aquário" de celulares sobre o balcão e as caças empalhadas numa das paredes (o veado era o único com máscara de lantejoulas roxas). A entradinha simples, de porta e janelas, não possui sequer placa, mas não se deixe enganar, pois a casa do tipo "vagão de trem" se expande em três ambientes, sendo um externo, muito aconchegantes.

É lícito supor que uma tal atmosfera, naquelas cercanias, atraia um grande contigente GLS (gays, lésbicas e suspeitos), mas parece que público e bar andaram se estranhando um tempo atrás, e como protesto o bar foi alvo de um "beijaço" nos moldes do que sucedeu ao shopping Free Boneca. Sem entrar no mérito, não sei que efeito têm esses protestos que se revertem em público e publicidade ao lugar. Melhor para o Drosophyla, que tem drinques decentes —quem provar a capiroska de lichia e discordar que me conteste— e trilha sonora moderninha sem ser insuportável.

Cozinha não é lá o forte da casa, mas os petiscos não chegam a fazer feio. Os preços seriam camaradas caso o sujeito já não tivesse que morrer com dez reais na entrada e mais nove no estacionamento. Não queriam abolir por decreto a consumação mínima? Taí o resultado.

Nota: 9,0 graals.
15:36:56 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: June 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.