:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


A hora do DJ Mandacaru

Velharias musicais sempre fresquinhas.


.:: mês anterior :: :: :: :: September 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

06 Setembro

Cantinho do Ombudsmacho

Nossos leitores mais fiéis já perceberam (alguns enviaram e-mails, preocupados) que houve uma sensível melhora no nível do blog nas últimas semanas, mas o mérito, claro, não é nosso e sim da recente contratação da redação, um ombusdman, vejam só, que saiu pelo módico preço de 2 arquivos mp3's e ¼ de garrafa de Black&White do fornecedor coreano vizinho à fiRRma.

A fim de mostrar que o nosso Sérgio Signus (marca fantasia provisória) é melhor do que os outros e não apenas um rostinho bonito a enfeitar a redação, publicaremos ao longo das próximas semanas alguns textos de sua pena, postados num fórum de musicólogos malucos (redundou?) que trocam arquivos flibusteiros pela Internet. Eis o primeiro, coincidentemente sobre o mesmo trompetista Clifford Brown homenageado pelo nosso Hunter há alguns dias.

Cabra marcado pra morrer

Parecia que o cabra tava marcado pra morrer de desastre de carro. Aos 20 anos, sofreu o primeiro, que o deixou inutilizado por um ano. Mais um outro, dois anos depois, devia ter feito ele optar pelo patinete como meio de locomoção. Debalde (porra, há anos eu esperava uma oportunidade pra usar debalde), aos 25, o terceiro e último, que levou junto o pianista Richie Powell e esposa.
Quando morreu, em 1956, Clifford Brown formava, ao lado de Miles Davis e Dizzy Gillespie, a santíssima trindade dos trompetistas de jazz. Apesar da pouca idade, deixou uma discografia relativamente extensa, já lançada em CD. Do que permanecia inédito, a Elektra lançou em, 1982, diretamente do baú da viúva, um disco gravado ao vivo, em Nova York, com aquele que foi seu último grupo: Max Roach (bateria), Sonny Rollins (sax), Richard Powell (piano) e George Morrow (baixo).
É deste disco que segue a nossa recomendação de faixa, “What’s New”, a balada pungente (por que toda balada tem que ser pungente? Será que eu ando lendo muito a Veja?) de Johnny Burke e Bob Haggart.

(do nosso correspondente em plagas praieiras e chuvosas do feriadão, a 9000 kbps)
07:55:00 - Zeno - 5 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: September 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.