:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Eu me envergonho

O lado B do Je me souviens.


.:: mês anterior :: :: :: :: October 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

29 Outubro

Xô, gentalha!

"Em meio à pressão de alguns moradores de classe média alta, a administração Geraldo Alckmin (PSDB) desistiu de construir uma estação do Metrô prevista há praticamente dez anos no projeto da linha 4-amarela (Luz-Vila Sônia). O Estado afirma que a queixa da população foi somente uma das razões que pesaram para a decisão —mas não a determinante.

Diferentemente da maioria dos paulistanos, que reivindicam mais transporte coletivo perto de casa, parte da vizinhança de bairros residenciais como Instituto Previdência, Jardim Christie e Guedala, na zona oeste de São Paulo, avaliava que a estação Três Poderes, integrada a um terminal de ônibus, poderia causar alguns transtornos e descaracterizar a região —com a presença intensa de camelôs e tráfego de coletivos.

Inserida nos mapas da rede divulgados ao longo dos últimos anos e prevista originalmente para receber 50 mil passageiros por dia, ela foi excluída da segunda fase da linha 4 ao mesmo tempo em que houve a decisão de antecipar a obra da estação Vila Sônia.

A alteração de planos foi formalizada há um mês, sem alarde. Na avaliação da gestão tucana, a nova estação, programada para ser entregue até 2012, terá melhor função social —já que concentrará um grande terminal de ônibus e se tornará a mais movimentada da linha 4, com 150 mil usuários. Pelos projetos originais, ela só sairia do papel numa terceira fase.

Por outro lado, a exclusão da estação Três Poderes, na esquina da av. Prof. Francisco Morato com a Três Poderes, vai abrir um 'buraco' de 2,4 km entre as paradas Butantã e Morumbi, a maior distância entre estações da linha 4. Os técnicos do Metrô geralmente planejam uma distância de 1 km entre cada parada dos trens."

(crdt : fsp de hoje, embora pudesse ser também de séculos atrás)
10:54:05 - Pinto -

27 Outubro

Le pirocón n'est pas mort

Cada país tem o Julio Neves que merece

Perceba como Barcelona ficou mais bela depois que Jean Nouvel (aquele sósia do Dr. Evil que pretendia afundar um McMuseu Guggenheim na Baía de Guanabara por um precinho módico; não conseguiu e embolsou um bom troco da prefeitura carioca assim mesmo) ergueu um falo gigante, batizado de Torre Agbar, por entre o vão da Sagrada Família.
14:11:46 - Pinto -

18 Outubro

Das causas de cada um

A simpática sul-matogrossense Carmem Cestari, que empresta sua imagem à campanha do Não, é também âncora do "De Olho nas Origens", programa da Sociedade Criacionista Brasileira, em parceria com o braço multimídia da Igreja Adventista.

Segundo a resenha, é um "documentário de alto nível", que traz à luz "contra-provas" de "temas diferentes alusivos à teoria do criacionismo", contra toda essa "ditadura do evolucionismo" que está aí.
20:51:44 - Pinto -

04 Outubro

Sistema límbico

Sou só eu ou alguém aí também já notou que que a campanha do "Não" ao plebiscito do desarmamento é toda calcada em sentimentos como ódio, pavor, tensão?

A começar da apresentadora, aquela senhora com cara de coruja hidrófoba, que agora entra na minha casa e me ameaça com um "Olá!" que mais parece um esporro.

Aí em seguida tome uma sucessão de meganhas, criaturas apopléticas, senhoras de Santana e mais uma multidão de criaturas egressas de um pântano de onde jamais deveriam ter saído, todos defendendo a "segurança" e o "cidadão de bem", nem que para isso tenham que tentar proibir uma novela de ir ao ar...

Cadê a alegria de viver dessa gente?

Ah, como é triste a gente sempre terminar refém da infelicidade alheia.
21:00:18 - hubbell -

01 Outubro

A revista da bala

Ceci n'est pas une pipe

E mais uma razão para votar sim: a Veja defende o não.
07:58:27 - hubbell -

.:: mês anterior :: :: :: :: October 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.