:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Tectum Intuentes

Ociosidade produtiva - textos reflexivos, anotações íntimas, sacanagens e demais ressentimentos.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Novembro

HZ orgulhosamente apresenta: Xenical™ Brothers

Mais c'est de la merde!
Uma tirinha autobiográfica dos gêmeos merdidamente semelhantes Pedro & Kleyton.
16:00:00 - Pinto - Comentar

26 Novembro

Capotando

Truman Capote faria oitentinha, vivo fosse. Cá entre nós, merecia uma estátua eqüestre mercê seu way of life que foi, tipo, viajar de uma festa em New York com o Mishima vestido de geisha pra encontrar o Paul Bowles em Tânger (vero).
Caipira, quase anão, veado (no kiddin´), voz de taquara rachada (alguém ainda usa essa expressão?), bebia pesado e ingeria umas coisinhas pra suportar a cretinice. Só que escrevia pacas.
Resumindo: a Companhia das Letras espertamente lançou "Bonequinha de Luxo" (ah, a Audrey...), e o filme "Capote", com o formidável Seymour, vai estourar cá no Bananão.
Titio Hunter diz: esqueçam e comprem "A Capote Reader", Penguin Modern Classics, 21 real, 700 páginas, na Curtura. Gotcha?
08:50:10 - hunter - 8 comentários

18 Novembro

Jabá lítero-eletrônico

noites cariocas

Eu não vi, mas minha ex-cunhada Íris viu e recomenda.
14:43:11 - Zeno - 1 comentário

questões fi-lo-porquéticas*

amá-la
ou
a mala
?

só avisar
ou
suavisar
?

*d'aprés nosso nobre edílico janio quadros,
vulgo 'el sueño de la razon...'.
14:15:45 - John Self - 1 comentário

17 Novembro

Mais um 17 de novembro

Hip, hip, hurra!

E nosso camarada Zeno fica mais velho, sem no entanto perder a pose de moleque. Vivas!

(crdt hipos : zonezero)
08:00:00 - Pinto - 16 comentários

16 Novembro

Pequena contribuição para um léxico explicativo da contemporaneidade nacional (II)

Sotaque
[De origem obscura]
S.m.
1. Atributo marcadamente característico de um terceiro e não percebido, reconhecido ou admitido em si mesmo, por verdadeiro ou não.

Ex. 1: "Os Safra e os Setúbal têm um sotaque inifinito se comparados comigo, que não possuo quase nenhum".

Ex 2: "Luana Piorréia tem um sotaque lindo, pena que seja tão bobinha".

Ex 3: "O sotaque do Daniel Pizca é motivo de xoxota entre os coleguinhas".

Sotaque carregado
1. Diz-se de qualquer moléstia infecto-contagiosa.

Ex. 1: "A faxineira lá de casa tem aquele sotaque carregado, mas já está se tratando".

Veja também Regionalismo.
11:00:00 - Pinto - 5 comentários

14 Novembro

Apito

Eu quero é ver a Oca!
O cacique Nelson da Praia materializar-se-á na tribo paulistana neste sábado, 19, na Oca do Parque Ibirapuera, para lançar Blog de Papel, livro que assina em co-autoria com mais uma turma de tuxauas do primeiro time.

A pajelança começa às 18h, durante a Primavera dos Livros. Quem não comparecer vai estar fazeindo o maior programa de índio.
10:00:00 - Pinto - 2 comentários

11 Novembro

Pequena contribuição para um léxico explicativo da contemporaneidade nacional

Regionalismo
[De regional + -ismo.]
S.m.
1. Tudo aquilo que não emana do ou não diz respeito direto e imediato ao umbigo paulistano.

Ex. 1: "As organizações Globo, o cantor e compositor Chico Buarque e o ex-time de futebol do Flamengo são as expressões máximas do decadente regionalismo carioca".

Ex. 2: "A cota de regionalismos desse hotel já foi preenchida com paraibanos na portaria, pernambucanos na limpeza e cearenses na cozinha; os baianos estão descansando na praia".

Ex. 3: "O mineiro Guimarães Rosa é expoente de um regionalismo que só se compara ao do gaúcho Erico Verissimo na literatura brasileira".

Ex. 4: "A seca na bacia hidrográfica da Amazônia é um regionalismo climático".
08:42:40 - Pinto - 6 comentários

10 Novembro

Alô, alô, responda

Você vem sempre aqui?

Os camaradas lá do condomínio Verbeat estão fazendo uma pesquisa sobre a blogosfera tupiniquim. Não é a primeira, que eu mesmo já respondi a outras, mas certamente deve ser a mais completa. E, ao contrário dos respeitáveis métodos dos institutos de pesquisa que temos cá, não haverá de servir para referendar nenhuma marmelada.

Até 25 de novembro você —blogueiro ou não— pode participar clicando aqui e revelando todas aquelas coisas feias que faz na frente desse micro. É rápido e indolor. Só não esqueça de clicar no botão SUBMIT ao final ou todo o esforço será perdido.
10:31:56 - Pinto - 4 comentários

07 Novembro

Jabá helênico

melhor que a nova novela grega das oito

Revistas de divulgação cultural (Bravo, Cult e a nova Entre Livros puxando a fila) padecem de uma encrenca epistemológica – perdão – atávica: ou bem você leitor sabe alguma coisa do assunto, e então a revista chove no molhado da perda de tempo, ou bem você não sabe nada, e aí a revista nunca é a melhor porta de entrada, porque o texto é invariavelmente escrito por alguém que acabou de saber um tiquinho daquilo que você não sabe nada. Para desacreditar o palpite aí de cima, acaba de ser lançado um número especial da Entre Livros sobre a Grécia – e podem apostar preciosos R$11,90 que a revista é muito boa. E não é porque tem três amigos do blog escrevendo nela, não, que nós ainda não aceitamos jabá em dracmas. Aliás, alguém tem uma tabela de câmbio aí?
11:21:33 - Zeno - 2 comentários

06 Novembro

Retrato em branco e preto

Sábado de calorzinho carioca aqui em SP, DJ Mandacaru e este que vos tecla nos postamos diante de uma suculenta rabada (no bom sentido) e de uma seqüência de chopes esplêndidos no Genésio, na Vila Mariana Madalena. Maria Rita na mesa ao lado, Laércio de Freitas apresentando a neta noutra mesa, aquele astral todo e bateu um banzo danado do Rio. Comentamos que só faltava a praia. E logo lamentamos que o Rio se fora.

Aí o João Moreira Salles ("o melhor dos irmãos", segundo um professor que tive a honra de compartilhar com eles) lembrou n'O Globo deste domingo que na verdade o sino está a dobrar por todos nós:

"Éramos o Distrito Federal, já não somos. Éramos a cidade-estado, já não somos. Éramos um centro econômico importante, a cada dia somos mais irrelevantes. Nossos times de futebol ganhavam campeonatos, hoje são o que são. Produzíamos homens públicos de dimensão nacional e hoje vivemos à sombra de homens miúdos. Homens, aliás, que servem de medida da nossa estatura e da nossa ambição, já que não existiriam se nós não os elegêssemos. Apesar de tudo isso, ainda somos importantes. Nossa importância não pode ser medida por índices materiais. Ela repousa num valor intangível: somos a imagem que o Brasil tem de si mesmo. Pouco importa se alguém vir nisso o último suspiro da soberba carioca, mas continuo acreditando que o Brasil não pode dar certo se o Rio não der certo. Somos o retrato de Dorian Gray do país. A imagem que não mente."

(crdt pelo envio : o dj lui-même)
11:30:35 - Pinto - 6 comentários

04 Novembro

Ah, sim...

O diálogo era esse:

— Não entendo por que me acusam de narcisista. Não tenho nada disso. Inclusive, Narciso nem é meu personagem favorito da mitologia grega.

— Ah, não? E qual é?

— Zeus.

(E ainda tem gente aqui na redação do blogue que renega o Woody Allen)
14:19:34 - Pinto - 7 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2005 :: :: :: :: próximo mês ::.