:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Tectum Intuentes

Ociosidade produtiva - textos reflexivos, anotações íntimas, sacanagens e demais ressentimentos.


.:: mês anterior :: :: :: :: January 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Janeiro

A tua presença

Como a recomendação foi do Mestre Self, aqui do blog, fico só num palpite sobre o novo livro da Danuza Leão, Quase Tudo, lido há pouco: realmente é impressionante a teia de relações filo-sócio-antropo-históricas que vemos sendo montada à medida que o Brasil vai montando a sua própria promessa de país daquela inacreditável década de 50. Mas não é curioso que o livro piore conforme o país piora (pra quem leu, a partir dos relatos das boates do início dos anos setenta)? Ou é culpa das minhas retinas com quatro décadas de uso, agraciadas com as sensacionais fotos que acompanham o livro?
06:58:00 - Zeno - 2 comentários

27 Janeiro

Jabá blogueiro 1

E com a rapidez que nos é habitual, só agora demos uma espiada no fotolog muito pimpão de uma leitora eventual aqui do blog, Rafaela Pires, fotógrafa de mão-cheia (mas não a ponto de tampar o obturador), que, na sua lista de blogs favoritos, fez a melhor definição cinéfila do nosso botequim: "eles não gostam de bom cinema, mas são engraçados". O nosso humilde destaque vai para a bacanuda série "Enciclopédia ilustrada das coisas que me cercam". Visitem, senhores, visitem!
08:34:00 - Zeno - 5 comentários

23 Janeiro

Jabá inteligente

Somos todos utopianos

Eu já fui. Duas vezes. E vou de novo. E tem aí uma possibilidade de exploração teatral de textos teóricos ou não-dramatúrgicos que é um verdadeiro mapa da mina pra quem se interessa por bizarrices como adaptação, roteiro, diálogo versus especificidade entre universos epistemológicos diferentes, etc. As obsessões são as mesmas de outras montagens do "diretor Chaves" (como agora ele é conhecido, depois de ter virado assunto de tese acadêmica), tanto temáticas - a gênese e os desdobramentos da violência, por exemplo - quanto formais - os diferentes "como dizer" oferecidos pelos meios teatrais. Em apenas duas palavras, e mais não digo porque acabei virando amigo do diretor e não quero ser acusado de favorecimento cupinchal: é das melhores coisas feitas em teatro, o maltratado, no Brasil, e por isso entenda-se: mais inteligente, mais consequentemente ousado, mais resolvedor de dificuldades auto-impostas e, ah, sim, mais divertido também.
18:56:16 - Zeno - 3 comentários

22 Janeiro

Tranqüilo e infalível como Bruce Lee

Essa é pra quem ainda duvida da estreiteza do Estreito de Bering. Um antropólogo amigo do blogue, que mexe com índios e esteve rececentemente no Alto Xingu, relata o seguinte sobre os iawalapiti: como toda tribo que se preze, eles se referem a si mesmos como nós, ou os humanos. Seus inimigos mais próximos, cujo nome não me ocorreu memorizar e a quem costumavam infligir derrotas pesadas no passado, são algo como os não-humanos, ou bestas.

"Existem bestas em São Paulo?", um índio perguntou ao meu amigo, que preferiu fingir-se de mouco. Mesmo porque seu interlocutor indígena só sabia contar até quatro: "Um, dois, três e muitos".

Inimigos mais distantes e ferozes, cujo nome igualmente ignoro, de quem costumavam mais receber que desferir bordunadas, são apropriadamente denominados de superbestas.

"E superbestas, existem por lá?", preocupou-se na sua santa inocência o bom selvagem. Meu amigo calado estava e calado prosseguiu.

Agora vem o melhor. Brasileiros e colonizadores em geral são obviamente os brancos, mas norte-americanos são chamados de superbrancos —o que, para mim, explica a Daslu, a Vila Olímpia, a Cool Magazine (apud Cynthia), os gerentes de marketing e mais um bocado de coisas por aqui, especialmente nesta cidade de 452 primaveras.

E, finalmente, os iawalapiti referem-se aos japoneses como supernós, ou superhumanos.

Agora, quando disserem que o japonês é o índio que deu certo, você já dispõe de um fundamento antropológico, que, de resto, toda boa piada possui. E eu não perco a minha razão em afirmar que o mantenedor aqui do blogue e o cacique Touro Sentado são a mesmíssima pessoa.

Rôco, nón?
11:48:07 - Pinto - 4 comentários

19 Janeiro

A Grécia é aqui, ou melhor, em Jundiaí

Neste dias de verão inclemente, com os duzentos quilômetros de distância de São Paulo a ajudar na hora em que você semicerra os olhos, escuta as ondas e imagina estar no Mar Egeu, tivemos agora à noite a chance de acompanhar a emocionante partida entre Santos e Paulista de Jundiaí, pelo emocionante Campeonato Paulista (aliás, no igualmente emocionante Campeonato Carioca, ouvimos que o Flamengo está disputando o torneio com seu time B, o que suscitou o comentário de um especialista praieiro "Mas se os caras não têm nem Time A?"). Pois bem, entre uma canelada e um tropeção, entre um Uésley e e um Geílson (grafias a corrigir), ficamos pensando na peculiar situação de um dos ídolos aqui do blog, Vanderlei Luxemburgo, o Luxa, rei das manicures e dos azulejos dos vestiários mundo afora e atual técnico do Santos. Há algumas semanas, nosso herói jantava nababesca e merecidamente em algum restaurante bacanudo de Madrid, com panelas tocadas pelo clone do momento do Ferran Adrià e com mesas animadas que reuniam deputados, donos de canais de televisão, ex-Spice girls, empresários do ramo de maracutaias e as três novas bimbos do Ronaldinho Gorducho. Os deuses do futebol, sempre atentos, decidiram que era chegada a hora de mais um Trabalho na carreira do nosso Hércules. Qual herói grego, Luxa degusta nesta abafada noite de quinta-feira os acepipes da Churrascaria do Jorjão, no km 32 da Anhangüera, com um cardápio eclético que inclui também sushis empanados, pizzas cinco queijos e aquele camarãozinho fritinho na hora, com cada uma das sete barbas a lembrar a seu fígado que o destino (tyké, na língua divina) é mesmo folgazão. O aço inox das dificuldades e das bandejas do Jorjão forja os grandes titãs da mitologia.
23:58:29 - Zeno - 5 comentários

13 Janeiro

Projeto Verão Hipopótamo Zeno

Em mais uma edição ordinária do nosso boletim, informamos que o sósia do ministro Marcio Thomaz Bastos, mencionado em texto anterior, era o próprio. Metereologia: continua quente pra caray. Marés: Heineken na rasante, uísque copo-alto-com-gelo-até-a-boca na cheia. Com a próxima mudança da lua, volta a vodca-tônica na rasante. Aliás, dica para o lar: pegue um limão galego, esprema a metade num copo com gelo, fatie a outra metade e jogue lá também. Bote quatro dedos de vodka e complete com tônica. Vá completando com mais vodka e tônica à medida que o copo for esvaziando por obra e graça do Espírito Santo. Aliás II, dica de economia para a dona de casa moderna: descobrimos recentemente que é um negocião esse troço de tomar vodka nacional (pura, com tônica, acompanhando cereja chilena, a desculpa você inventa): fica-se de fogo rapidim por módicas quinze pratas a garrafa (Smirnoff, no caso). Quero ver se tem alguém aí que encara um uísque que custe os mesmos 15 reais, com exceção daquele que sua tia cachaceira usava pra umedecer o famoso pão-de-ló que só ela sabia fazer.
06:31:00 - Zeno - 2 comentários

09 Janeiro

Projeto Inverno no Verão Hipopótamo Zeno

Viva o Protocolo de Kioto.

Uns, mais abastados, vão à praia. Outros, mais abestados, à montanha. Mais precisamente a Campos do Jorjão, onde meu camarada Jorjão possui uma quinta com jacuzzi no deck, lareira à mão, 13º C em janeiro, hortênsias obscenamente defloradas, cozinha equipada, despensa cheia e demais arroubos de sedução da burguesia.

Pois não é que no retorno, na descida da serra, nossa equipe de reportagem flagrou o princípio de um tornado ("twister", em português), devidamente registrado no instantâneo aí de cima.

Parece a natureza pedindo socorro num balãozinho de cartum, repara só.

CNN News update: Não era um tornado, diz o Inpe, e sim uma "nuvem em forma de cone". E quem liga pra o que o Inpe diz? Os caras não conseguem acertar uma...
14:00:00 - Pinto - 20 comentários

Projeto Verão Hipopótamo Zeno

Nossa indômita equipe de reportagem traz as últimas notícias do litoral paulista: "Meteorologia: tá quente. Notas sociais: foram vistas, em diferentes estágios de descontração, as celebridades Roger, do Ultraje, Serginho Groisman e um sósia do ministro Márcio Thomaz Bastos. Movimento das marés: vodca-tônica na rasante, uísque na cheia".

Mais notícias a qualquer momento em boletim ordinário.
08:53:26 - Zeno - Comentar

03 Janeiro

Novas resoluções para 2006

Impedir, a todo custo, que dois dos redatores aqui do blog continuem suas resoluções iniciadas em dezembro de 2005: fazer drenagem linfática duas vezes por semana, um ("ela tem mãos de ouro" foi uma das justificativas ouvidas), e praticar tal de jogging (valha-me) pelo Ibirapuera às sete da manhã, vestindo um calção Osklen de 300 pratas e óculos escuros Diesel, o outro. Não podemos declinar os nomes pra que ambos não virem motivo de xoxota em seus empregos ditos "sérios".
10:36:45 - Zeno - 6 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: January 2006 :: :: :: :: próximo mês ::.