:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Zenices

Pensamentos de Zeno acrescidos de pérolas de igual verve vindas de procedência vária.


.:: mês anterior :: :: :: :: January 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

22 Janeiro

"Olá, meu nome é Pinto e há 10 anos não comprava uma Veja"

Troque seu cachorro por uma revista pobre

Pois quebrei o jejum ontem, por conta da capa. Cachorradas me apetecem. Li a matéria e constatei que a Superinteressante, para ficar no Grupo Abril, faria coisa melhor. A Cães&Cia, que repete o mesmo texto desde o primeiro número, também. Péssimas fotos num tema desses. Para não bronquear, resolvi valorizar o investimento e ceder ao costume do blogue, resenhando a revista como se estreasse em bancas. Lá vai: [Leia mais!]
10:41:50 - Pinto -

16 Janeiro

Van filosofia

"O que é afundar numa cratera comparado a fundar uma empreiteira?"

— Bertolt Odebrecht, poeta concreto armado.
09:43:43 - Pinto -

15 Janeiro

Calhau

Diz-se que aquela lama toda no buracão do metrô ali em Pinheiros provém de uma editora próxima.

Que não é a Signus, aliás.
10:36:59 - hubbell -

12 Janeiro

Grandes nomes da Filosofia e do Show de Calouros

A cultura é inimiga da razão, painho

Pedro de Lara. É coisa nossa.

(crdt : lf brócoli, pela lembrança)
15:14:24 - Pinto -

A sinceridade é uma forma de incompreensão

"Era um coisa tão estranha. Estranha, sabe? Como se, de repente, a gente pudesse dizer qualquer coisa. Apertar docemente as mãos de uma mulher muito feia e dizer: 'Francamente, como deve ser difícil viver com essa cara...'. Uma coisa assim, estranha."

Ricardo Piglia, Meu Amigo.
07:22:00 - Zeno -

11 Janeiro

Sangue, suor e lágrimas? Não, água, sal e areia

"Essa internet é foda."

— La Ciscarelli, aquela a quem dói aparecer como coitada, mas é infensa à dor do coito em si.
15:18:20 - Pinto -

02 Janeiro

Triunfos do manajument

Um banco para chamar de seu

Um exemplo da agressiva estratégia de marquetingue do Banco do Brasil para começar o ano ampliando sua base de clientes, como está nos jornais de hoje: eis que, agredindo o bom-senso e os manuais básicos de identidade corporativa, o banco resolve "adotar" o nome dos clientes, vilipendiando sua logomarca e confundindo a cabeça de todo mundo. Já explico.

Quanto custou esse assomo de "customização" pouco importa, que o banco é público e quem arca com a presepada somos eu, tu e o rabo do tatu, mas é o caso de relatar o que ocorreu há pouco aqui na fiRma: o cara da informática, justo ele, visitou a página do BB e encontrou lá o "Banco do Bruno". Desconfiado de que se tratasse de ação de algum hacker ou algo pior, ligou para o atendimento telefônico do Banco do Brasil e ouviu a confirmação de que "deve ser algum vírus no seu computador".

Agora imagine explicar o imbróglio todo à dona Renata, lá dos Cafundós do Judas, aquela mesmo a quem o banco tem a maior dificuldade de explicar os procedimentos de segurança ao acessar o site...

CNN News Update: c.q.d, aqui.
15:14:34 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: January 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.