:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Março

baixincardido

999 , e bonito ainda, ñ é pra qualquer um.

Classificados (ou "Pra que serve mesmo essa merda de internet, hein?")

Senta aqui e balança

De um amigo atormentado por dívidas de jogo, mulheres e drogas (não necessariamente nesta ordem) adquiri esta maviosa cadeira do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, circa década de 1920 —pelo menos foi essa a lorota que ele me contou—, e estou enfrentando certa dificuldade em arrumar alguém que faça o restauro do sistema de molas, conforme foto acima.

Uma futura lactante agradece enternecida qualquer ajuda nos comentários.
14:21:59 - Pinto - 10 comentários

a SUDERJ informa: 999

Circunstâncias trabalhistas me fazem passar três dias por semana na aprazível cidade do Rio. Não sei quanto ao Romário, mas fiquei emocionado à beça por entrar no Maracanã pela primeira vez domingo passado e por vê-lo marcar o 999, ainda que do lado errado da História (assisti ao jogo nas novas cadeiras azuis, antiga Geral, embaixo da torcida Raça Rubro-Negra, que bota a percussão pra tremer o estádio inteiro e junto as novas reformas do Pan). Neste próximo domingo faço as pazes provisórias com Eurico Miranda e vou ver o jogo ao lado dos meus recém-irmãos vascaínos, à espera de que a História entre novamente em campo e abençoe umas 50 mil pessoas pelo resto de suas vidas um tanto mais felizes por obra e graça Dele (Romário, claro).
13:03:17 - Zeno - 3 comentários

Promoção do Submarino

Deu na Inbox:
Desconto Progressivo em Filosofia
Comprando dois livros você ganha 5% de desconto. Comprando três, 10%. Adquirindo quatro ou mais livros, 15% de desconto. A melhor forma de entender os dilemas de hoje é clicando aqui.

Lôco, né?
12:44:38 - Zeno - 3 comentários

29 Março

Diálogos Paulinfâmicos

versão I

— Mas este camarão é pistola?
— Minha senhora, experimenta mexer com ele.

versão II

— Mas este camarão é pistola? Porque eu só compro camarão pistola.
— Sei.

versão III

— Como é que eu sei que este camarão é pistola?
— Bom, minha senhora, se a senhora não sabe, que diferença faz?
20:57:35 - Zeno - 3 comentários

"Que foi, filho, não gostou da outra?"

17:37:59 - Pinto - 4 comentários

entre e sente-se à vontade.

informações úteis?
linques precisos?
notícias do tempo e do trânsito?

viaje tranquilo
conte c/ nosso p.a.u.
o seu posto de atendimento ao usuário

zeno corporeichom
foréver inoveitin@

pensando o quê

iniciativa tb. pode ñ ser privada.
10:55:27 - George Smiley - Comentar

28 Março

Disclaimer: o Brasil caindo em bocas de Matildes

Aqui neste blogue ninguém jamais açoitou ou teve ganas de açoitar negro algum. Nem incolores. Nem verdes, amarelos, azuis ou brancos, cor-de-rosa ou carvões.

Mas nutrimos um certo pendor por açoitar ministras.
12:16:15 - Pinto - 17 comentários

27 Março

Quem manipula quem

Uma metaexplicação (perdão, leitores!) sobre o mundo digital e mais um pouco que vale por um bifinho, cortesia do amigo Armustus (o dos arbustos). Pode perder os 4'30" que vale:

11:14:56 - Pinto - 3 comentários

22 Março

Eu me lembro

Conforme o prometido, eu e o nosso Renato K. nos lembramos do Hotel Xuxu, em Diadema. Não sei quanto ao Renato, mas de tanto passar em frente, no início da década de 80, comecei a ter umas fantasias fassbinderianas sobre o lugar [eram os tempos em que 10 em cada 10 cineclubes, aliás eram os tempos em que havia cineclubes, valha-me, programavam retrospectivas do alemão numa semana, do Bergman na seguinte e do Fellini pra arrematar; não falhava nunca, e não sei que danos essa trinca provocou em muita cabeça cinéfila de então]. Bueno, no que consistia o projeto de estação no inferno: trancar-se no Xuxu por duas semanas, sem pôr a cara pra fora, acompanhado do kit Garota Tipinho Problemática + engradado de vodka Popov + pacotes abundantes de Minister. Eram bons aqueles anos oitenta – basta ver um possível equivalente dos anos 2000: Wong Kar-Wai, Hotel Ibis, Garota Tipinho Problemática [categoria imutável], Stolichnaya e uns pacotes de Marlboro azul. Mudei eu ou mudou a economia pós-Rodada de Doha?
01:57:37 - Zeno - 9 comentários

21 Março

Aconteceu num blogue que não é meu

O sempiterno Pedro Doria evoca, como sempre, um assunto bacana: a semelhança genética entre judeus e palestinos. Mas bom mesmo foi o comentário (cometido às 2 da manhã!), que reproduzimos aqui na íntegra, da lavra de um certo Mico Monoteísta em Devaneio: [Leia mais!]
15:00:00 - Pinto - 2 comentários

Minha vida sem Sarah Polley

Leia a foto, veja o filme
11:03:05 - Pinto - 4 comentários

Eu me lembro

Eu me lembro, na verdade eu não me lembro, porque a história me foi contada, de uma tia cinéfila, dos tempos em que se compravam as revistas com as estrelas de róliúde, que era apaixonada por dois gêneros específicos de filmes, que ela seguia assiduamente e pronunciava caprichadamente: ganjéster e farvéster.
08:00:00 - Zeno - 8 comentários

20 Março

bar que presta, sem um num vai.

enfim adversários a altura.

papel de seda

ela se lembra do 'desenhocop'.
uma maravilha quando chegou: mapas, pássaros, répteis finalmente ficaram fáceis de copiar, naquelas infinitas lições de casa.
antes tínhamos que chupar em papel de seda, depois rabiscar nas costas da folha, daí riscar de novo no lado direito, até o desenho sair na 'lição'.
com o desenhocop não!
o desenho já vinha impresso no avesso das folhas de seda, era só riscar - 1º a gente rabiscava tudo, era uma delícia, depois aprendia a só riscar em cima dos tracinhos - ela gostava tanto da seda que às vezes amassava uma.
grande cara o inventor, esse tá no céu duma certa criançada.

Não há salvação para a crueldade

Zapping no rádio, pedaço de entrevista na CBN com uma fulana da UFRJ que fez mestrado e doutorado sobre a dificuldade de as mulheres se ajustarem aos padrões de beleza "impostos pela mídia". Repórter: "A senhora estudou durante mais de dez anos o estigma da feiúra, não é mesmo? Fez pesquisa de campo em academias de ginástica, consultórios, clínicas...". Desligo e penso: "Sei. Pesquisa de campo ela fez a vida inteira, olhando pro espelho de casa".
O inferno me espera, não há dúvida.
07:57:00 - Zeno - 7 comentários

19 Março

Categoria mais desunida

Atentos observadores do mundo literário que somos, não poderíamos deixar de fazer o registro de duas momentosas ocorrências:

1. O escritor Marcelo Mirisola escreve à Folha de S.Paulo para protestar contra o bonde literário de alguns colegas seus, que pegaram uma graninha do governo federal para se inspirar num rápido giro ao exterior, com direito a escalas em Parati na volta. Aqui.

2. Santiago Nazarian e Marcelino Freire acusam Luiz Ruffato de roubar-lhes, nas cercanias da Frei Caneca (logo onde! veja o porquê da ilação aqui), a originalíssima idéia de uma antologia de contos gays. Ruffato responde, admite o roubo, mas não deles nem exatamente ali. Aqui.

Entende agora por que a Argentina tem livrarias e Nobéis, enquanto nós nos contentamos com baixarias e decibéis?

Ou então deixem de frescuragem e façam logo como o Vargas Llosa e o Gabo, pô!
14:24:55 - Pinto - 13 comentários

Capim Santo

Diz-se que o Capim Santo é um típico reduto gastronômico tucano em São Paulo. Concordo, mas não pelos motivos óbvios. Não pelo preço do bufê ser 45 reais, o mesmo número do partido. Não pelo fato de o governador José Cérbero, com a sua Família Adams a tiracolo, ter almoçado lá neste domingo. Não pela freqüência patriçosa, quase bonita, quase elegante, quase-quase. Não por aquela decoração fundindo Bali e Bahia, nem pelas jaboticabas que, como tucanos (os políticos, não os pássaros), insistem em dar fora de época.

É tucano, sim, mas pelos efeitos da comida. É saborosa. Convida ao apetite. Tem estilo. Mas engana. Tucana. O marreco com molho de pitanga estava bom. O cuscuz estava melhor ainda. As ostras gratinadas, uma delícia. Tudo à vontade. Passei as saladas, inclusive. Só que... os efeitos posteriores foram comparáveis ao trabalho do pessoal do consórcio na linha 4 do Metrô. Na minha casa, por exemplo, foi uma noite de amor aos peidaços que nem vos conto. Santo nada, Capim Sonso, isso sim.

Nota: tucanamente não dou.
11:21:07 - Pinto - 7 comentários

15 Março

Cueiros

Nosso redator-chefe, Zeno, pede para informar à distinta clientela que se encontra afastado de suas funções mercê de uma cirurgia maxilo-bucal, que o reconduziu à casa materna e o colocará numa dieta pastosa (e abstêmia) por alguns dias, cuíca semanas.

Ato contínuo, numa prova de que o uso do cachimbo entorta a boca e de que toda regressão dá direito aos desejos mais estranhos, me pergunta onde é possível encontrar um daqueles cadeirões de bebê.

O diálogo deu-se desta maneira que vos relato.

A redação do blogue antecipa-se e comunica que está aceitando donativos de fraldas Pampers.
11:37:52 - Pinto - 7 comentários

Cruz credo!

Suderj informa: Sai Pedê, entre DEM.
10:13:31 - Pinto - Comentar

13 Março

Esta noite encarnarei no teu cadáver

Escrever na internet é traçar linhas na água.

Era.

(crdt pela dica : o lomógrafo lll)
14:48:00 - Pinto - 8 comentários

09 Março

Efeitos colaterais da troca da Folha pelo Estadão

Conforme o prometido, troquei excremento por estrume* e estou há pouco mais de uma semana a receber o Estadão (o jornal que faz ão-ão) todos os dias no remanso da minha resistência.

Houve alterações notáveis no meu cotidiano:
1) Já não sei qual é mais recente grande banda de moleques britânicos desta semana que vai mudar a história da música, segundo a capa da Ilustrada.
2) O jornal pára mais tempo na minha mão.
3) Meus dedos ficam menos sujos de tinta depois da leitura.
4) Minha cachorra tem errado menos o alvo do xixi.

Escusado mencionar que deparar de manhã cedo com aquela fotinha do nosso ídolo César "Blow" Giobbi, modelito inverno-perpétuo, é a certeza de uma jornada produtiva que se anuncia.

* Merda por bosta, no email que originou este post, mas achei muito vulgar para que constasse aqui.
12:29:35 - Pinto - 4 comentários

Pela regulamentação da profissão de imitador de Paulo Francis

Dentre as deficiências do Estado brasileiro que se perpetuam ao longo dos tempos, creio que a mais grave é o governo não ter ainda, desde a última década, regulamentado a profissão de imitador de Paulo Francis.
É revoltante ver diariamente, em colunas espalhadas de Norte a Sul do país, heróicas e bravas hordas de imitadores de Paulo Francis, sofrendo para procurar citações eruditas no Google, buscando de maneira tocante afetar inteligência e conhecimento, sem que nenhum tipo de apoio governamental lhes seja prestado
.

(roubado daqui, em puro momento Jon Swift) [Leia mais!]
11:01:09 - Zeno - 31 comentários

08 Março

Paciência. Uns podem, outros têm

Jó durante o job

Roubado daqui.
21:45:50 - Pinto - 1 comentário

dá nó em pingo d'água

Um mineirinho inteligente vindo da roça se candidatou a um emprego numa grande loja de departamentos da cidade. Na verdade era a maior loja de departamentos do mundo, tudo podia ser comprado nessa loja. O gerente perguntou ao rapaz:
- Você já trabalhou alguma vez na vida?

(crdt rf, caçador de esmeraldas, rubis, cristais, cristinas etc.)
[Leia mais!]

Teorias conspiratórias hipopotâmicas

Corria o ano da graça de 1997 e eu morava atrás do hotel Mofarrej, em SP, onde se hospedou o então presidente Bill Clinton em sua visita brasuca, com o mesmo caos que se vê esta semana minus a paranóia binladenesca que acompanha a comitiva do Bãsh. Por aqueles dias, o cantor João Bon Jovi se apresentava em São Paulo e também se hospedou no Mofarrej, causando o corre-corre e a gritaria de um punhado de meninas que tentavam adivinhar por qual saída de garagem o cantor iria escapulir do hotel. [Da janela do meu apartamento dava pra ver as janelas da suíte presidencial do Mofarrej, e eu cheguei a pensar em ganhar uns caraminguás alugando a sacada pra algum árabe esquisito ou marido corneado pelo Bill, mas acabei desistindo.] Voltando: no tempo em que ambos estiveram hospedados no hotel, Bill e Bon Jovi não foram vistos nenhuma vez sequer juntos num mesmo lugar, o que fez com que eu, espertamente, somasse A mais D e chegasse à conclusão estarrecedora: eles eram a mesma pessoa. Quando um saía de cena, o outro pulava à ribalta, com os sinais acessórios evidentes: o apelo pop do Bill com seu saxofone, o sucesso do Bon Jovi junto ao público feminino, etc. Nunca consegui provar, como sói nestas situações de segurança nacional, mas jamais me esquecerei do momento em que contemplei as luzes da verdade revelada.

Corta pra 2007 e a visita do Bush Filho. Hoje à tarde, em meio ao bombardeio literal e figurado de manifestações de rua, é anunciado na surdina que o senador Antônio Carlos Magalhães passa mal e é internado no Incor, em São Paulo. Preciso dizer mais?
19:40:53 - Zeno - 7 comentários

Polêmica! Polêmica!

A tradição inglesa do romance policial está para a Crítica da Razão Pura, do Kant, como a vertente americana hard boiled está para a Crítica da Razão Prática. E temos dito.

(mote sugerido pela leitura do terceiro capítulo do mais recente livro do Ricardo Piglia, O Último Leitor)

(lembrando que somos bons em polêmica: óisó aqui)
11:27:43 - Zeno - 5 comentários

Mais lixo velho da internet

Interessado em descobrir como, afinal, funciona o mouse que você tão displicentemente usa? Eles sabem.

(crdt: o americanista mateus s.)
09:10:41 - Zeno - Comentar

07 Março

o desenho do desejo são: remembering the naufrágio of the everdade

vcs já viram uma mulher de tanga.
e deitada numa rede.
e ela assim fazendo isso tirando uma havaiana, displicente.

intão já viram as 3 contribuições universais pro des-desenho do mundo, brasileiras.

cada uma delas, mulheres e objetos, delicadocemente organizadas dum jeito muito espaecial.
com aquela calma de quem tem prá todos.
de quem tem tom tocando viola prá frank cantando, e o chico minino só observando.
e gil no parque, diministrando as poética das existencia, inveiz de ficar olhando os próprio bolso.

deixa os gringo sedento, tem c/ que(m) lidar a sede.
no desejo deles nosso desenho pode ser, não.
nossos desejos são.

soberania pode ser curvilígnea.

d'aprés clint, se formos machistas agora, só nos foderemos.

contato i-mae-diato

Em 09/02/07, XXX escreveu:
querido xxx
estou morrendo de saudades e curiosidades.
onde estara hoje?
bjo
mae

Em 08/02/07, xxx escreveu:
oi mae!

Em 09/02/07, XXX escreveu:
filho da mãe, onde vc esta?
AGORA?????

Em 09/02/07, xxx escreveu:
numa lan house de ogaki!

arquieetimologia p'os-birinaites

amplo-sexões falam 'spirit'.
depois de vários spiiriits falam 'gimme morshpirittes'.
depois ainda, semi-empenados, shbiridids.
mais adiante, seus amigos corrigem, 'non nom izzbírides'.
do grego, entendi? ladtinos.
ainda além -pós diversas- da imaginaçhão do grubo, isbiritash.
no dia seguinte, ash birítash, q'era no rio.

e no houaiss etc (que só tomavam vinho) sai umas 'biritas'.

06 Março

Notas sobre outro escândalo

Diz o UÓ (sempre uma notícia relevante) que o deputado Clodovil pediu somente R$50,00 da verba indenizatória de R$ 15 mil a que teria direito.

O valor teria sido gasto com "óleo lubrificante".

Sei...

(crdt pela dica : armustus, aquele atrás dos arbustos)
11:23:30 - Pinto - 2 comentários

05 Março

Tão triste como ele

Desde que os 47 Contos do Juan Carlos Onetti foram lançados, no fim do ano passado, estamos devendo uma resenha à altura do impacto absurdo que a leitura nos causou/tem causado/ainda vai causar pelos próximos anos, a confiar no que diz o autor do belo prefácio da edição da Companhia das Letras. Enquanto isso não acontece, queríamos deixar a preciosíssima dica de um site espetacular, garimpado nas águas da rede por conta desta paixão onettiana recente, que é o Onetti. Juan Carlos Onetti, com tudo, absolutamente tudo sobre o escritor uruguaio, e ainda por cima com o melhor layout de site que vimos nos últimos tempos: todas as informações arrumadas à esquerda, com menus perfeitos, navegabilidade limpa e direta, trabalho abnegado de fã modestíssimo (não conseguimos localizar os créditos de autoria), de tirar o chapéu. E o endereço do site, então, é puro trocadilho onettiano: onetti.net. Cliquem, cliquem, cliquem: não há rigorosamente nada mais importante a se fazer nesta segunda-feira do que passear pelas páginas do site.

E de quebra, um protesto de quem já foi acusado, aqui no botequim, de mania de arrumação de livros: quando comprei o livro de contos, eumesouviei de ter um romance do Onetti em casa, comprado ainda na década de oitenta, mas chequei na seção da estante de livros latinoamericanos e nada. Devo estar enganado, Tico e Teco enferrujados, etc. No fim de semana, resolvi arrumar a parte da estante com literatura brasileira e eis que o Junta-Cadáveres pula à minha frente, ultrapassando com galhardia os muitos volumes do Graciliano e do Machadão. Moral da fábula: quem tem TOC ganha sempre livros novos-antigamente-desaparecidos.
13:00:56 - Zeno - 1 comentário

03 Março

Mais uma vez o mundo se curva

Pra você ver o que é a "cognosciência preemptiva", aliás "chute certeiro", no popular: "cagada". No Seminário Web 2.0 promovido pela fiRma outro dia, os caras agora se referem (a sério) à dispersão motivada pelo excesso de emissores como... "nanoaudiência".

O termo apareceu pela primeira vez aqui, da lavra do nosso redator-chefe Zeno, por puro chiste betuminoso (como de resto tudo o que aqui se faz), logo depois do anúncio do iPod nano, coisa de... dois anos atrás, talvez? Tudo bem, pode ter aparecido simultaneamente em zilhões de lugares, era natural. Mas que eu li primeiro neste tímido e espalhafatoso blogue, isso eu li.

Outra coisa: Marcelo Coutinho, cabeça pensante do Ibope e um dos melhores palestrantes do evento, demoliu o deslumbramento de boa parte dos presentes com os EUA, avisou que o buraco da net brasileira é bem mais embaixo (números são números) e saiu-se com a melhor frase do seminário, sobre o cultuado Second Life, algo assim: "Quando há tanta gente procurando uma segunda vida, a primeira não deve estar lá essas coisas".
10:57:51 - Pinto - 3 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.