:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Zenices

Pensamentos de Zeno acrescidos de pérolas de igual verve vindas de procedência vária.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

19 Março

Categoria mais desunida

Atentos observadores do mundo literário que somos, não poderíamos deixar de fazer o registro de duas momentosas ocorrências:

1. O escritor Marcelo Mirisola escreve à Folha de S.Paulo para protestar contra o bonde literário de alguns colegas seus, que pegaram uma graninha do governo federal para se inspirar num rápido giro ao exterior, com direito a escalas em Parati na volta. Aqui.

2. Santiago Nazarian e Marcelino Freire acusam Luiz Ruffato de roubar-lhes, nas cercanias da Frei Caneca (logo onde! veja o porquê da ilação aqui), a originalíssima idéia de uma antologia de contos gays. Ruffato responde, admite o roubo, mas não deles nem exatamente ali. Aqui.

Entende agora por que a Argentina tem livrarias e Nobéis, enquanto nós nos contentamos com baixarias e decibéis?

Ou então deixem de frescuragem e façam logo como o Vargas Llosa e o Gabo, pô!
14:24:55 - Pinto -

09 Março

Efeitos colaterais da troca da Folha pelo Estadão

Conforme o prometido, troquei excremento por estrume* e estou há pouco mais de uma semana a receber o Estadão (o jornal que faz ão-ão) todos os dias no remanso da minha resistência.

Houve alterações notáveis no meu cotidiano:
1) Já não sei qual é mais recente grande banda de moleques britânicos desta semana que vai mudar a história da música, segundo a capa da Ilustrada.
2) O jornal pára mais tempo na minha mão.
3) Meus dedos ficam menos sujos de tinta depois da leitura.
4) Minha cachorra tem errado menos o alvo do xixi.

Escusado mencionar que deparar de manhã cedo com aquela fotinha do nosso ídolo César "Blow" Giobbi, modelito inverno-perpétuo, é a certeza de uma jornada produtiva que se anuncia.

* Merda por bosta, no email que originou este post, mas achei muito vulgar para que constasse aqui.
12:29:35 - Pinto -

Pela regulamentação da profissão de imitador de Paulo Francis

Dentre as deficiências do Estado brasileiro que se perpetuam ao longo dos tempos, creio que a mais grave é o governo não ter ainda, desde a última década, regulamentado a profissão de imitador de Paulo Francis.
É revoltante ver diariamente, em colunas espalhadas de Norte a Sul do país, heróicas e bravas hordas de imitadores de Paulo Francis, sofrendo para procurar citações eruditas no Google, buscando de maneira tocante afetar inteligência e conhecimento, sem que nenhum tipo de apoio governamental lhes seja prestado
.

(roubado daqui, em puro momento Jon Swift) [Leia mais!]
11:01:09 - Zeno -

08 Março

Teorias conspiratórias hipopotâmicas

Corria o ano da graça de 1997 e eu morava atrás do hotel Mofarrej, em SP, onde se hospedou o então presidente Bill Clinton em sua visita brasuca, com o mesmo caos que se vê esta semana minus a paranóia binladenesca que acompanha a comitiva do Bãsh. Por aqueles dias, o cantor João Bon Jovi se apresentava em São Paulo e também se hospedou no Mofarrej, causando o corre-corre e a gritaria de um punhado de meninas que tentavam adivinhar por qual saída de garagem o cantor iria escapulir do hotel. [Da janela do meu apartamento dava pra ver as janelas da suíte presidencial do Mofarrej, e eu cheguei a pensar em ganhar uns caraminguás alugando a sacada pra algum árabe esquisito ou marido corneado pelo Bill, mas acabei desistindo.] Voltando: no tempo em que ambos estiveram hospedados no hotel, Bill e Bon Jovi não foram vistos nenhuma vez sequer juntos num mesmo lugar, o que fez com que eu, espertamente, somasse A mais D e chegasse à conclusão estarrecedora: eles eram a mesma pessoa. Quando um saía de cena, o outro pulava à ribalta, com os sinais acessórios evidentes: o apelo pop do Bill com seu saxofone, o sucesso do Bon Jovi junto ao público feminino, etc. Nunca consegui provar, como sói nestas situações de segurança nacional, mas jamais me esquecerei do momento em que contemplei as luzes da verdade revelada.

Corta pra 2007 e a visita do Bush Filho. Hoje à tarde, em meio ao bombardeio literal e figurado de manifestações de rua, é anunciado na surdina que o senador Antônio Carlos Magalhães passa mal e é internado no Incor, em São Paulo. Preciso dizer mais?
19:40:53 - Zeno -

Polêmica! Polêmica!

A tradição inglesa do romance policial está para a Crítica da Razão Pura, do Kant, como a vertente americana hard boiled está para a Crítica da Razão Prática. E temos dito.

(mote sugerido pela leitura do terceiro capítulo do mais recente livro do Ricardo Piglia, O Último Leitor)

(lembrando que somos bons em polêmica: óisó aqui)
11:27:43 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.