:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Diálogos paulinsanos

Como diria Orson Welles, é tudo verdade.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.

28 Novembro

Meu marido/Minha mulher me abandonou, mas o chocolate será sempre fiel

E por falar em resenha de mocinha, segue diálogo recente:

— E esse troço aí, tal de ganache, como é que faz?

— Você derrete chocolate no microondas e depois joga uma garrafinha de creme de leite fresco.

— Peraí, e as quantidades?

— Ah, pruma garrafa de 500 ml de creme, uma barra de chocolate das grandes. A quantidade deve ser mais ou menos igual de chocolate e de creme. Tem de ir no sentimento, sabe?
19:18:51 - Zeno -

Receita para pseudônimo

— Já expliquei como fazer para criar um pseudônimo legal?

— Hã, não.

— A teoria é de uma amiga minha. Você faz o seguinte: pega o seu segundo nome, ou o nome de batismo, Luis, por exemplo, e acrescenta o nome da rua onde você passou a infância, ou do lugar onde você mais gostou de morar. No meu caso, Mauá. Tá pronto - e fica sempre sonoro: "Luis Mauá".

— Hã, e se o sujeito morou na Viela dos Pedreiros e tem por segundo nome Pedro? "Pedro Pedreiro" não dá, né?

— Bom, pelo menos ele já tá com a profissão garantida e foi até homenageado pelo Chico Buarque.

(crdt david brasseur)
10:40:53 - Zeno -

05 Novembro

Nota sócio-literária

– Cê viu que o Justus lançou um livro?

- E a mulher dele, aquela da Playboy, também.

- Será que lançaram um livro no outro?

- Se foi mal não houve. A lombada deve ser fininha.
22:13:06 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2007 :: :: :: :: próximo mês ::.