:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Tectum Intuentes

Ociosidade produtiva - textos reflexivos, anotações íntimas, sacanagens e demais ressentimentos.


.:: mês anterior :: :: :: :: June 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.

29 Junho

Paris Combo



Boa semana.
20:12:58 - Sorel - Comentar

25 Junho

Fez diferença

Prima-dama

Tudo bem que nessas horas todo mundo fica melhor do que sempre foi, mas é só lembrar da Marly, Rosane, Lilian, Lila, Lu ou Marisa. Melhor que essa, só se o Ciro levar. Ainda assim, só pra olhar.
16:37:55 - Sorel - 17 comentários

17 Junho

Os centímetros do prazer

Bueno, já está nas bancas a revista Playboy com a Mulher Melancia, para alegria do nosso ombudsman Luiz Franz e de toda a rapaziada hortifrutigranjeira lá de Cotia. Perdida em meio a páginas muito mais interessantes, nossa equipe de reportagem topou com a seguinte estatística publicada pela revista:

No país da abundância. Desde os anos setenta, os principais bumbuns que desfilaram em Playboy: Gretchen, 98 cm. Rita Cadillac, 103 cm. Carla Perez, 102 cm. Scheila Carvalho, 96 cm. Sheila Mello, 98 cm. Mulher Melancia, 121 cm.

Bueno II, salta aos olhos e a outras partes do corpo um intrigante mistério jornalístico, que só a incompetência da imprensa local pode explicar por que ainda não foi desvendado: o que acontece, cabalisticamente, nesse intervalo de 18 cm entre a Cadillac e a Melancia? Não há e nem houve mulheres nesses trinta anos a preenchê-lo? Onde estão todos os centímetros intermediários entre uma e outra, que tanta alegria poderiam trazer à nação brasileira?

É de tirar o sono.
12:25:36 - Zeno - 17 comentários

Alguém conhece?

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.
01:22:52 - Sorel - 9 comentários

12 Junho

Grandes siglas da história econômica brasileira

CSS = Cansei de Ser Sonegador.
15:51:59 - Pinto - 1 comentário

10 Junho

Nós apoiamos

16:35:43 - Pinto - Comentar

09 Junho

Das Ewig-Weibliche zieht uns hinan

Num desses momentos de ócio reflexivo que tão bem caracterizam nossa seção Tectum Intuentes, percebi ("realizei", como dizem os amigos da área de tecnologia e marketing) que minha frase predileta do cinema era mesmo a resposta que o personagem do Lázaro Ramos dizia após uma fala especialmente perspicaz vinda da personagem de Luana Piovani, em O Homem Que Copiava, de Jorge Furtado: "Além de gostosa, filósofa."

Daí­ o quiz para a audiência: o que esta frase diz sobre a) a essência feminina, b) a filosofia, c) a dramaturgia fílmica, d) a condição do homem contemporâneo e, por que não?, e) sobre este que vos escreve?
08:54:49 - Zeno - 13 comentários

06 Junho

"Êpa, faltou um efe aí!"


Com todos os efes-e-erres

1.Com absoluta exatidão. 2.Caprichosamente, apuradamente.

(Da série: Coisas Que Só o Aurélio Traz Para Você)
11:55:04 - Zeno - Comentar

03 Junho

Escada abaixo

Jantar em restaurante batuta. Mesa com seis, sete pessoas, incluindo dois representantes da redação hipopotâmica. Conversa espirituosa, varrendo os assuntos do dia deste e do outro lado do Atlântico, com latitudes variadas. Oito garrafas de vinho depois, já ao final da noite, moça cândida pergunta aos citados: "Vocês são jornalistas?".

Pausa. Nos dois primeiros filmes da série "Meus caros amigos", do Monicelli, fonte de inspiração para a rapaziada do Quinteto Irreverente, há uma seqüência que se repete a respeito do personagem do dono do bar, o Necchi. A voz off começa mais ou menos assim: "A genialidade é um atributo insondável, inesperado, que se manifesta nos momentos menos oportunos, etc etc", para justificar o lampejo de mais uma tirada brilhante conduzida pelo personagem.

Voltando: a pergunta do restaurante era um desses momentos, típica oportunidade única para deitar, rolar e correr para o abraço, iniciando com um singelo "Sim. Somos. Como você percebeu?" e daí percorrendo pradarias e montanhas de alegria, "Ele da Veja, eu da Carta Capital", passeando por penínsulas de diversão, "Não acho que as FARC sejam, propriamente, terroristas", e esticando ao sol das tardes amenas do sarro folgazão, "Ah, o Nassif, deixa eu ti contar uma história sobre ele...". E assim iria a conversa, com a garantia de uma boa meia hora de puro prazer desinteressado, como dizia o Kant.

Mas não. A genialidade é musa malsã. Não se disponibiliza assim, entre uma taça de vinho e uma garfada numa rillette, pra quem não é do ramo. Nossos dois heróis, pegos de surpresa, só conseguiram balbuciar um "Não, não" pretensamente superior e pretensamente ofendido com a pergunta, emendando um pobre chiste que só tornou tudo pior: "Eu mexo com TI", "E eu, com IT, rá rá rá". É por isso que eles têm um blogue, e não um programa de TV como o finado e saudoso "Whose line is it anyway?". O que lembra outra discussão levantada aqui na casa, e sobre a qual traremos em breve novas elucidações.
14:49:05 - Zeno - 7 comentários

02 Junho

Dica de leitura

Pare de perder tempo aqui e vá ao Terra Magazine de hoje, está imperdível. Tanto pelo Carlão Bazuca como pelo Jorge Furtado.

Fora o Veríssimo na capa, claro.
12:16:26 - Pinto - 2 comentários

Sua mais completa tradução

Apartheid com grife.

Comentário de um amigo: o Angeli tá tão bom que tá parecendo o Laerte...

(crdt : fsp, hoje)
12:01:38 - Pinto - 8 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: June 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.