:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Todos

Todos os posts do mês. Para selecionar uma seção, clique no menu ao lado.


.:: mês anterior :: :: :: :: August 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.

31 Agosto

A beleza da justiça

Tem o grampo do Gilmar, o laquê da Ellen, o topete do Marco, aquela mecha elegantíssima da Cármen, o bigodón do Cezar, a sobrancelha e o comb-over dos Carlos, tem de um tudo. E tem aquelas coisas cabeludérrimas que o Zero Grau escreve quando se olha no espelho.

E o enredo tem toda a grandeza das melhores intrigas pedicuro-alisamentícias, regadas a revista Caras, a exemplos dos melhores salões, que é no que a egrégia se transformou.

Adoro!
21:11:21 - Pinto - 2 comentários

O naipe da bisca

Neguinho tá vendo urso

Repara só o gabinete da Exma. Sra. Governadora da Galeria Alaska, que periga vir a ser a futura vice-presidente —cuíca presidente, que o congelado McCain está perto do prazo de validade— dos Estados Unidos do Kitsch. Não bastasse o décor, digamos, renascentista, madame também é renascentista nas atitudes: um breve exame, com todo o respeito, do currículo da sra. Palin ensina que ela é cristã fundamentalista, militante antiaborto e contrária às pesquisas com células-tronco, entre outros itens menos votados.

Algo me diz que ainda sentiremos saudades do jeitão low-profile de George W. Ou você por acaso acha que neguinho lá crê em preto na Casa Branca?

(crdt : meu repositório diário de tendências)
10:46:48 - Pinto - 3 comentários

30 Agosto

pedofilia explícita

putzlavaieladenovo

vc., bom observador de fotos, repare na quantidade de traços extras
no esgar dessa criança.

lembra?
crianças só-riem, não esgarçam.
esgarçar, lembra?
depois a mãe tinha que cerzir.

repare nas crianças: se trêm tais traços.

então.

se trêm, tramo mal nas opchão.
e o solo delas tá ficando mole,
proporcional a solhidez do nosso solo.

adespois, nem tem pulíça qui resorva.

resumindo:
tomara que o mc-cain perca,
sinão, essa minina, tadinha,
tá fudida...
pq. a mãe,
coitada,
na esperança,
é a 1ª que morre.

"Uma conversa informal a respeito da idéia de infinito"

Deu no Estadão: "será aberta hoje no Galpão Fortes Vilaça a mostra Meteorítica, da dupla portuguesa João Maria Gusmão + Pedro Paiva. Na aura de escuridão e mistério, proposta pelos artistas numa grande sala negra, estão esparsas projeções em 16 mm de filmes mudos e em câmera lenta. Elas são pontuais e tratam de fenômenos (de referência científica/filosófica/existencial) que têm como mote a idéia de meteoro que vem do infinito e choca-se com a Terra."

Não sei por que, mas me lembrei de uma ou outra coisa que já passaram pelo botequim.
09:06:58 - Zeno - 9 comentários

27 Agosto

Hiato financeiro em viés decrescente

Deu na mídia: "Morre Olavo Setúbal, do Banco Itaú."

Antes ele do que eú.
19:26:15 - Zeno - 5 comentários

Momento fofo HZ

Do caderno de adivinhas do meu filho de seis anos:

1) "O que o rato disse quando viu um morcego?"

2) "O que o porco-espinho perguntou para o cacto?"

Respostas abaixo. [Leia mais!]
10:18:10 - Zeno - 4 comentários

Locais que freqüentamos, freqüentávamos, freqüentaríamos

Isso sim é Tolerância Zero

(lembrando que o Xangô é reincidente por aqui)
08:09:29 - Zeno - 9 comentários

25 Agosto

No names, please

Aí o querido leitor não conseguiu comprar ingresso pro Caô e Bob cantando Tom e deve estar pra lá de chateado.
Mais uma vez, o HZ -- o blog que chicoteia os aflitos e consola os poderosos -- vem em socorro de sua nano e bota na roda um documento que era privilégio de pouquíssimos até então. Uma espécie de copião, ensaio, demo, só coisas do Tom, cantadas pelo inominável. Uma amostra com Triste (3,7MB) e um pacotinho (19,8MB) formado por Garota de Ipanema, a anterior, Samba do avião, Vivo sonhando e Estrada branca.

E não está mais aqui quem postou.

24 Agosto

O banho e o bidé



No entanto, podem tirar seus cavalinhos da chuva: quem vai lavar a égua é o McCain, uma espécie de hardware de Ulysses Guimarães com software de Nilton Cruz, ou algo assim.
17:33:09 - Pinto - 1 comentário

23 Agosto

Alemão para principiantes

Essa língua é um terror

Bist du Laden?
18:02:20 - Pinto - 3 comentários

22 Agosto

Ton Hoi

Seriíssimo candidato a grande decepção do ano a quase seis meses do 31 de dezembro. Inspirados pelo clima olímpico e pelo delicioso programa da Kylie Kwong no GNT, fomos lá conferir o que seria o grande restaurante chinês de São Paulo, uma espécie de Chi Fu com atendimento digno. Pois nem bem o atendimento é lá essas coisas nem a cozinha justifica a fama ou muito menos o deslocamento até os confins da Francisco Morato. Até aí, queda. O coice foi que a conta saiu por pelo menos o triplo do preço do que estávamos acostumados a pagar.

Várias teorias me apresentaram, mas nenhuma fecha a equação na minha cabeça. A localização parece ser a mais provável: atende aos morumbinos que não querem se deslocar até a cidade e se contentam com uma refeição fora de casa num padrão um pouco melhor que um desses China In Box da vida. Meu pato frito estava esturricado e só não digo sensaboroso porque nada com aquela quantidade de gengibre e alho pode ficar sem gosto. A carne com shimeji e brócolis da minha partner, essa sim (a carne, não a partner) parecia egressa de uma caixinha.

Gostaria de lhe dar uma segunda chance, mas pelo que me disse a própria atendente, e é verdade, o restaurante está sempre cheio, não aceita reservas e é um sucesso de crítica e público em São Paulo. Bem feito.

Nota: 3 miojos.
11:00:00 - Pinto - 2 comentários

Atendendo aos inúmeros pedidos

Cadê o Clooney?

Matt Damon (terceiro da esquerda para direita), juntamente com o elenco de seu novo filme, Pool's Four, mostra orgulhoso seus trinta centímetros de altura recém-conquistados e os props e figurinos que serão utilizados na filmagem.
00:19:49 - Zeno - 5 comentários

21 Agosto

Antes que postem o Matt Damon aqui...



Selma Blair
, instead. Me likes most.
19:03:35 - Pinto - 12 comentários

Você é Kassab?

Eu não sou, não, tem aquele axioma irresoluto sobre o qual já falamos e tudo o mais. Mas ontem, vendo a propaganda eleitoral, ele com aquela pobreza de expressões, a cara de personagem de cartum, os olhos parvos e arregalados, a cinturinha de joão-bobo, não pude deixar de reparar num trechinho curioso do programa do atual prefeito desta louca e emotiva cidade. Cito de memória:

"Se em dois anos ele já fez tudo isso, imagina em quatro, minha gente!"

Em quatro eu acho que ele faria loucuras!
12:59:13 - Pinto - 6 comentários

20 Agosto

Serviço de utilidade pública cinetílica

Uni dune tê salame minguê

Numa das mãos, uma garrafa do doce e confiável Chivas, que acompanha sua família há anos e que não sai por menos de 110, 120 pratas. Na outra mão, a chance de comprar o box com a trilogia Bourne e levar pra casa duas obras-primas absolutas do cinema contemporâneo (o 1 e o 3). Mas custa 70 pratas ou mais, dependendo da loja. Como escolher? Put your hands together, my friend. À venda nas melhores casas de secos e molhados, uma combinação mezzo estapafúrdia de filme e álcool, juntando os dois itens acima e que sai pelo preço de 100 reais, um negocião. Tem também o combo uísque + trilogia Poderoso Chefão, mas esta última todo mundo já bebeu, digeriu e degustou há muito tempo. Vá de Bourne, mesmo: sente-se no sofá com as pedras ou o copinho na mão, estique os joelhos e tente entender que diabo de linguagem fílmica nova é essa que a trilogia propõe. Rende também os divertidos jogos de salão "Quantos cortes há por minuto na Parte 3?" e o "Jogo das Sete Diferenças entre Cenas Semelhantes em Cada Filme".
18:55:32 - Zeno - 14 comentários

19 Agosto

d.n.a.da, era só um caoso mesmo

dias
em que a gente se divisa
si mesmos

chegado a uma borda
como se em praias ou mata

- falésias, talvez cuestas, algo mais apropriado -

e lá sentados
consideramos:
vastidôes oceânicas
?
dimensões continentais
?

isso tudo
e com uma vida sem n.d.a.

15 Agosto

Alheiras na bacurinha

Entre as diversas atividades do tio DJ Mandacaru está o estudo de manifestações musicais fesceninas.
Acabaram de chegar-me às mãos dois exemplares provenientes de "Portugal, nosso avozinho", de que reparto excertos.
O pacotinho de Quim Barreiros (7,8MB) traz "Fui Acudir", "Ela Faz Caridade" e "Gosto de Carne Mijada". O ajuntadinho de Rosinha (5MB) inclui "Por Trás Não", "Meu Amor Tem a Tenda Armada" e "Enfia Agora".

Desaconselhável ouvir no trabalho.

14 Agosto

O nascimento de uma canção

Tom Zé desmontando o processo de criação de uma canção de sucesso, explicando como se plagia uma progressão harmônica sem dar muita bandeira e, de passagem, tirando uma da cara de diversos figurões da música brasileira, inclusive de si próprio.

Tirada (11MB) de um show com o Gereba e lançado em LP em 1990.
15:28:28 - DJ Mandacaru - Comentar

12 Agosto

Quadro de Medalhas da Terceira Idade

– Fiquei acordado até as três da manhã vendo as provas de natação e de vôlei de praia feminino. Tô ficando pervertido com a idade?

– Nada. O nome disso é espírito olímpico.
13:28:26 - Zeno - 6 comentários

Feliz Dia das Mães

O passeio semanal por bancas de jornais e revistas é atitude sabidamente gnoseológica, como já dissemos em diferentes ocasiões aqui no botequim. Nos últimos tempos, topamos com algumas revistas antropológicas de sexo que traziam em suas capas diversas ocorrências da misteriosa palavra MILF. Pelo conteúdo das fotos em display, deu pra perceber que se tratava do bom e velho filão das mulheres maduras que mantêm seus atrativos em desafio ao tempo e à física, mas o mistério da sigla permanecia. Duas googladas depois, e por cortesia da Wikipedia, descobrimos a resposta: Mothers I'd Like to Fuck. O verbete ainda esclarece que é favor não confundir com a Moro Islamic Liberation Front, grupo separatista das Filipinas, nem com a Monsters, Inc Laugh Floor, atração de um parque da Disney.

L.Ô.C.O., né?
13:12:50 - Zeno - 3 comentários

08 Agosto

Poesia para desopilar

Hão de chorar por ela os cinamomos,
Murchando as flores ao tombar do dia.
Dos laranjais hão de cair os pomos,
Lembrando-se daquela que os colhia.

As estrelas dirão — “Ai! nada somos,
Pois ela se morreu silente e fria... ”
E pondo os olhos nela como pomos,
Hão de chorar a irmã que lhes sorria.

A lua, que lhe foi mãe carinhosa,
Que a viu nascer e amar, há de envolvê-la
Entre lírios e pétalas de rosa.

Os meus sonhos de amor serão defuntos...
E os arcanjos dirão no azul ao vê-la,
Pensando em mim: — “Por que não vieram juntos?”

— Alphonsus de Guimaraens
23:22:42 - Pinto - 6 comentários

Pujança citadina

Agora que Indaiatuba, Londres e demais megalópoles voltaram à pauta de discussão nacional, por conta do Índice Firjan e da (boa) revista publicada pelo Estadão no domingo último (comprem, comprem), lembramos que a Economist publicou, no ano passado (edição de 5 de maio a 11 de maio), um excelente dossiê sobre o assunto intitulado The world goes to town. O diabo é que os ingleses são bons em ganhar dinheiro há séculos, e o conteúdo da matéria especial só está acessível para os assinantes da revista ou para quem quiser comprar o PDF com os textos. Como dinheiro e blog são duas entidades não comunicáveis entre si, nós vamos estar tentando disponibilizar o tal dossiê para a nossa nanoaudiência em breve, via xeroxzinho escaneado ou cópia mimeografada com bastante álcool. Fica a promessa, pois.
10:59:52 - Zeno - Comentar

06 Agosto

Um novo sentido à expressão "Pegar jacaré"

Prego, eu?

(Da série "Surf, mais uma insuspeita habilidade dos hipopótamos", desta vez em Durban, África do Sul)

(crdt: ombudsman luiz franz)
12:33:44 - Zeno - 11 comentários

Catadão sobre Batman, O Cavaleiro das Trevas (2008)

Agora que os críticos de cinema de Indaiatuba e do resto do mundo aprovaram financeira e majoritariamente o filme, vale uns pitacos:

--tudo bem que o Coringa seja a melhor coisa do filme, mas precisava anular quase completamente o herói? Donde outras questões: alguém viu o Batman no filme? Ele fez alguma coisa de relevante? Alguma ação sensacional, dessas que se espera de um super-herói e que vemos à profusão em outros filmes baseados em gibis DC ou Marvel?
--sumiram com Gotham, também, que virou Chicago ou Londres.
--donde o corolário: parece um ótimo filme de psicopata amedrontando uma cidade real. Se tirassem o Batman e pusessem um tira ou detetive à paisana, daria no mesmo.
--é muito melhor que o primeiro, a baboseira Batman Begins? Ô se é. Mas aí a régua é muito baixa. E como esse diretor Nolan nunca fez nada que prestasse, seria estranho que ele se redimisse num estalo movido a 185 milhões de dólares. Daí, por exemplo, as decupagens horrorosas das lutas físicas, chochas e abandonando o estilo edita-rápido-que-ninguém-vai-entender-mesmo do primeiro. E editar mal uma luta depois da lição memorável dada pela trilogia Bourne e pelo novo Bond é incompetência ou preguiça.
--não sou viúva dos dois filmes do Tim Burton, que primavam mais pela direção de arte que pelo roteiro ou pela mão do diretor, mas senti falta da tal "atmosfera" gótica que ele tão bem imprimiu aos filmes e que combina às maravilhas com o personagem do morcegão.
--o roteiro confunde riqueza com imprecisão e comete deslizes inaceitáveis: todo o plot inicial dos chefões da máfia, culminando com o seqüestro do chinês, é deixado de lado durante dois terços do filme para reaparecer meio aos trancos perto do final (quando vemos novamente o chefão chinês preso, a reação é "Puxa, olha aquele cara ali que tinha sumido da história!").
--e, finalmente, Christian Bale. Aí não tem jeito, mesmo. Ele abandonou o biquinho do primeiro filme, mas a voz continua a mesma (modificada digitalmente? Porque não é possível que aquilo tenha sido "escolha do ator"). Incomoda tanto que o grande diálogo dos dois, com o Curinga pendurado, quase afunda por conta das respostas do herói ditas daquele jeito. Nem como Bruce Wayne ele convence, e olha que basta um terno bem cortado e um guaraná imitando scotch na mão.
--implicâncias finais: aquela máscara, inventada no primeiro e com um desenho redondo (!) para a boca+queixo e pontudo (!) para o nariz, é decididamente infeliz, e o batmóvel modelito humvee, também herdado do primeiro, é um acinte à tradição de design dos modelos anteriores, tanto nos gibis quanto nos seriados e filmes.

O curioso é que a sensação que permanece quando saímos da sala é a de ter visto um filme que agradou, muito até, claro que por conta de um personagem maior que tudo, movido pela idéia magnífica da ausência de sentido nos atos e motivações – e as explicações "psicológicas" que se auto-desmontam são a cereja de um bolo pro qual não há como não tirar o chapéu. Na somatória: 10 pro Curinga/Ledger, 10 pros coadjuvantes de luxo, zero pro Bale, cincão pro diretor e pro irmão roteirista e estamos conversados.
12:12:46 - Zeno - 9 comentários

05 Agosto

O Índice Firjan e as atividades licenciosas - Parte II

A verdade está lá fora - no pasto

Confirmando o movimento rumo ao interior apontado pela Firjan, Botucatu abre alas e antecipa o lugar onde nenhum homem jamais esteve. A presença do nosso George Smiley como palestrante está garantida para o encontro do ano que vem, data estelar a confirmar. Não custa lembrar que as palestras em klingon terão tradução simultânea e que as cinquenta pratas da inscrição deverão ser pagas à vista, que ninguém sabe como será o amanhã, responda quem puder.
10:10:53 - Zeno - 7 comentários

O Índice Firjan e as atividades licenciosas

A dica veio do nosso George Smiley, puxando a brasa para a sua sardinha interiorana: publicado por estes dias, o tal Índice Firjan, "retrato mais fiel do que o IDH", propõe um ranking de 5.559 munícipios brasileiros com os critérios de educação, emprego e renda, saúde, etc (as diferentes listas e imagens podem ser baixadas e visualizadas aqui). Nem é preciso deixar a preguiça de lado para perceber, com o grão de sal devido, que a lista traz, no topo, um punhado de cidades próximas a São Paulo/Capital que só figuram aí por conta de aberrações mais ou menos esquizofrênicas, isto é, que não garantem às cidades mencionadas um mínimo de estabilidade ou permanência econômica não-parasitária.

Indaiatuba (meu deus, Indaiatuba - e mais não falamos porque o nosso Sorel nasceu lá e tem até hoje garrafa de uísque no único bar freqüentável da cidade), Vinhedo, Boituva, Barueri, Itupeva, etc são as pobres hospedeiras acidentais dos condomínios medonhos, das pistas de pólo, das casas de campo "provençais", dos helipontos e das multinacionais oportunistas que mantêm com as respectivas cidades a mesma relação "endógena" que eu mantenho com um iate, um Porsche Cayenne e uma conta de 15 milhões de dólares no Opportunity: nenhuma.

Das outras cidades, digamos, mais tradicionais (São José do Rio Preto, Bauru, Araraquara, etc), espero sincera e obviamente que a boa colocação seja fruto de políticas públicas mais ou menos suprapartidárias e iniciativas privadas mais ou menos permanentes, com os percalços sabidos. Sobre Araraquara, aliás, lembro a antiga piada: "Vam'embora pra Araraquara?", "Araraquara? Que é que tem pra fazer em Araraquara?", "Ah, não sei, dar o cu por lá, que ninguém conhece a gente".
09:50:50 - Zeno - 19 comentários

Corretivo

Deu no Estadão: Gilmar Mendes é a favor de vara especial para abusos de autoridade.

De nossa parte sugerimos bambu verde ou marmelo. As de urtiga e cansanção também são varas muito boas.
08:59:57 - Pinto - Comentar

04 Agosto

joakin's: cardozo x guedes

o guedes, finalmente talvez, requiescat in pacem.

foi um bom arquiteto enquanto deglutiu o funcionalismo, o racionalismo e quetais do tardo-modernismo que ainda sobrevivia talentosamente nesse país entardecente.
depois, enveredou por caminhos esquizotes.
encantou e confundiu, c'uma memória daquelas e propósitos daqueles. [Leia mais!]

02 Agosto

Déjà vu vu

Tá, eu num me aguento mesmo, mais uma Nostalgias com a Mayte Martín, acompanhada pelo Tete Montoliú - o genial pianista basco, que tem um disco del gran caray só tocando boleros, um dia, vocês me lembrem, eu boto aqui - mais o baixista Fumero fazendo o papel que o Joaquim Cardozo fazia pro Niemeyer (perguntem pro Smiley, ele explica quem é, assim que acabar o congresso de ufologia de Botucatu).

Déjà vu

Só mais uma prá fechar a noite: Andres Calamaro cantando Nostalgias, cês se virem aí no Google. Só digo o seguinte, são os 4MB mais bem pagos da semana.

O barquinho vai

Não, absolutamente, o HZ não poderia se furtar (boa noite, Protógenes) a contribuir para as comemorações dos 50 anos daquele negócio que nossos irmãos maiores chamam de "os cinquenta anos da bossa nova". Teve um trem aí, mais bem explicado no livro do Ruy Castro sobre o assunto -- um show na Escola Naval, Rio de Janeiro, juntando boa parte do lado B do assim chamado movimento. No Leia Mais tem a relação completa.
Enfim, é a nossa contribuição, com a forte ajuda do Loronix, 140 MB para quem tem paciência.
[Leia mais!]

01 Agosto

Dona de divinas tetas

Aí você pega um país cuja economia é fortemente baseada na pecuária. Aí você pega duas vacas sagradas desse país.
Dá um disco magnífico: El Tango (1965), Piazzolla e Borges, mais Edmundo Rivero e Luis Medina Castro. Não precisa explicar quem entrou com música, quem entrou com letra. Tem desde "A Don Nicanor Paredes" até "El Hombre de la Esquina Rosada". Capas, track list, mais musga em 55MB. Vale cada byte.
20:46:01 - DJ Mandacaru - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: August 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.