:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: November 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.

26 Novembro

Cinefilia a cinco dólares de distância

O novo site da Criterion. Parece um sonho. O clipinho de apresentação com as mudanças é genial. Dez, quinze anos atrás, se alguém me expusesse uma idéia dessas, eu desdenharia. O mundo, rá, existe para ser inteiramente transformado em zeros e uns e transmitido pelas ondas e cabos. Ainda bem que minha senilidade não é inteiramente precoce.
08:18:23 - Zeno - 1 comentário

14 Novembro

Demorei pra entender

Bordão de um seriado que não conheço, mas digno de nota:

- 'You were right': my three favourite words after 'nine inches cut'.

crdto: J.R.
19:41:58 - Sorel - 1 comentário

13 Novembro

lista de blogues afazeres&azias antes quéu'squeça, deporre

1- a 'bomba de gestão retardada' do serra destruindo mais um lugar de cuidamento do estado da arte de sampa, agora em botucatu, p/ não deixar ninguém exquilo-sê-lo até 20000010.9, que cara exquerdocroto esse, seu, vim p/ cá p/ ter sussego e até aqui o pentelho aparece, alguém tem que comê-lo, pô, cadê as carla bruni desse lugar? pô.
2- maravilha, qdo ela me falou que o meu lado esquerdo do cérebro era um açougue, e que o direito é que a entendia, era o sábio oceanico e eu entendi que era occitanico
3- o jeroem (iurrúm, em portugues)1* na vogue desse mes, logo no começo da revista, assim, meio p/ esquecer, mas numas, c/ aquele monte de gatinha depois
4- respostas ao 'fotofôda-se' 2* do 'hippo in loco', por conta da poucavergonha das instituição do bananão e o fugidio dos humor, provavelmente frustrados cum tamanha dizfarça-tez, des-machadiando-se por conta dum bon'de filhadaputa disgraçado fodendo=nos; lembrar do 'chill out' dos moleques, mt bom na mesma e melhor linha das minha respostaeventual à respeito
5- e dez-graças ä tudo que seja vezjga, em desasossego existencial profundo e sempre, nets da udn, ô gente 'atraente' nos bar e chata que chata em sociedade, que caras desagradáveis, sô, como não têm papo, só grana, incrível
6- conversar c'os amigo/as e afins/as sobre a próxima geração de 'leaders' pestedebistas, de 5a todos - fodidos enfim, sem pais nem país, tudo da mior formação do que'stão doidos prasquecer agora, sem ideomãegia: só pudêsubrevivê nesse mardemendes
7- lembrar do seu carlos -sacando quase-além da linha, mais uma vez; lembrar: qdo a grana e/ou o caminho for suficiente- tem que 'chill out', pular fora, a idade/experiencia não adianta nada se a burrice continúa institucional, a gente sempre morre nesses enredo
8- lembrar e prestar mais atenção nos pormenor, que anda e nos in(a)daga
9- sempre respeitar os que vêem vindo a se tornar idosos, pq. qto mais verbo no meio, mais retarda as conclusão/co-oclusão, seja dentária ou sedentária

1*da famiglia koolhaas, mas o recado dele, ali, é p/ ela, daí a graça.
2*contra as photo-opporttunnitty da era neora-liberal que se encerra a simesma, nesse exato instante.

09 Novembro

Vicky Cristina Barcelona



Tem gente que acha que ele ficou preguiçoso, outros que trabalha demais. Eu continuo adorando seus filmes. Dificilmente seus personagens não me atraem, mas sempre achei que são os diálogos, ou os pequenos monólogos em dupla, que desde Alvy Singer (Annie Hall) fazem valer o ingresso.

Ontem fui ver Rebbeca Hall, Scarlett Johanssen, Penélope Cruz e Javier Bardem em Vicky Cristina Barcelona, assim mesmo, sem vírgulas. Filme de altos e baixos, daqueles que personagens em férias experimentam aventuras e contrapõe culturas a nivel de clichê, se é que vocês me entendem. Penélope está linda e ótima, como sempre, fazendo papel de artista louca que mulheres e homens desejam mesmo que, alguns, de modos e por razões diferentes. Javier é aquele homenzarrão bruto, de barba mal feita e sedutor que mulheres e homens desejam mesmo que, alguns, de modos e por razões diferentes. Scarlett é uma gringa loira e maluquinha que experimenta a bissexualidade sem culpa e que mulheres e homens desejam mesmo que, alguns, de modos e por razões diferentes. E a estreante Rebeca Hall a americana travada com noivo certinho tentada a ceder à paixão numa cidade exótica e que ninguém deseja de fato. Mas e daí? Apesar disso tudo a história não é óbvia, o filme segue em paz contando as férias e aventuras amorosas das duas e o narrador, sim, temos um narrador, antecipa as cenas na medida certa, ironizando a conta-gotas a situação dos quatro. É uma comédia e eu ri. Algumas vezes, confesso, de nervoso.

PS: Rebbeca é linda e segura o filme. Mesmo os piores detratores admitem o faro de Woody Allen para estrelas, cadentes inclusive.
23:50:54 - Sorel - 4 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: November 2008 :: :: :: :: próximo mês ::.