:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: February 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.

14 Fevereiro

indabem

que tem gente que
tem mais o que fazer
00:34:54 - George Smiley -

06 Fevereiro

Revanche (2008)

Disponível nas melhores casas de torrent do ramo, é um dos concorrentes a Oscar de Filme Estrangeiro deste ano, novamente da Áustria, que faturou o ano passado com "Os falsários" (idem disponível em torrent, já que, pelas minhas contas gagá, ainda não estreou por aqui). Lembra muito uma obra-prima recente, "A Humanidade" ("L'Humanité", 1999), do Bruno Dumont, assim como alguns filmes do Chabrol do final dos sessenta/começo dos setenta, o que mostra que esse negócio de crime em cidadezinha pequena (o plot do filme) é boa matéria fílmica em vários países. Fiquei sabendo do filme através da newsletter da Criterion, que vai lançá-lo em circuito nas salas americanas e depois em DVD. Só não sei se tem chances com a estatueta careca, porque a disputa deste ano é profissa: tem muita gente boa elogiando o mezzo desenho animado "Valsa com Bashir", de Israel, e o do Laurent Cantet, "Entre Les Murs", que aparece em um monte de listas de melhores do ano passado.

P.S. com tapa-olho: o filme estreou semana passada na Áustria e só entra em cartaz na Alemanha na semana que vem. Se há um ramo infenso à crise mundial, talvez et pour cause, é o da rapaziada da perna de pau internética.
12:32:00 - Zeno -

05 Fevereiro

Quem Quer Ser Um Milionário? (Slumdog Millionaire, 2008)

Buscapé and Dadinho go Bombay.
11:53:34 - Zeno -

04 Fevereiro

Sala IMAX do Shopping ao lado do Palmeiras

Uns dez, doze anos atrás, passeando pelas Ôropa, resolvo entrar e conferir uma sala IMAX. O filme era sobre "as maravilhas do fundo do mar", ou algo assim, mas poderia ser a lista telefônica da cidade, porque o impacto era incrível. Lembro de uma sala com formato abobadado, a tela passando por cima de nossas cabeças, a sensação era mais física, táctil, do que visual. Saí chapado, voltei uns dias depois para ver outro filminho, sobre o Everest, só ficou a lembrança der ser mais chato que o outro, mas o babado ali não era, evidentemente, a qualidade fílmica das atrações. Corta para 2009 e a inauguração da sala IMAX em SP, desta vez eu e meu filho para conferir as "novas maravilhas do fundo do mar", porque o filme é de 2006 ou 2007, com narração do Johhny Depp e da Kate Winslet, mas o dado é irrelevante porque a cópia é dublada. Bueno, o primeiro susto é o acanhamento da sala, pequetita, com a inclinação do tal formato stadium (nome que sempre desperta um sorriso) acima do normal. A tela também não impressiona, ou melhor, impressiona na altura, não na largura, e transmite o aspecto de ser abarcável, apreensível, em oposição àquela lembrança européia que derrotava nossos sentidos todos. Até o efeito 3D propiciado pelos óculos me pareceu menos realizado que o das novas salas inauguradas há pouco tempo (como a do Shopping Eldorado, que já recomendamos em outra ocasião): o que aparece no meio da cena fica bem desenhado em 3D, o restante do quadro, as extremidades, por exemplo, horrivelmente desfocadas – não dá nem para virar a cabeça pra comentar alguma coisa com o vizinho, porque aí até mesmo o centro da imagem vai desfocar. Bueno, disso tudo restam as alternativas: a) estou realmente ficando gagá, e a sala européia não era nem abobadada, nem a projeção era tão envolvente; b) era, sim, mas o pessoal do IMAX resolveu trocar de tecnologia de projeção ao longo dos anos; c) a sala paulista é mais uma manifestação do conhecido efeito "vaMpiro brasileiro" citado algumas vezes aqui no blog. A reestréia do "Batman" vem aí, quem sabe pra ajudar no veredito.
10:26:59 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: February 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.