:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: August 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.

27 Agosto

A Teta Assustada (La Teta Asustada, 2009)

Ganhou o Urso de Ouro em Berlim, né? Então a gente olha com mais cuidado. Um filme pequeno, que se dá bem quando cuida dos assuntos paralelos (que são muitos, e todos interessantes) à trama principal. O problema talvez esteja nesta última, e aí vale aquela recomendação genérica de praxe: o cinema é um meio ingrato para lidar com metáforas e afins. Se a intenção é fazer com que A signifique B, meu chapa, tome cuidado com o B que se escolhe. Quem viu o filme e ficou entalado (sem trocadilho) com a história da batata, sabe bem do problema. Aquilo está lá para metaforizar o quê? Qualquer resposta empobrece o filme, eis a armadilha. Melhor é fazer como o Jia Zhang Ke, que espertamente desloca a questão, como mencionamos aqui.
11:58:18 - Zeno -

24 Agosto

Guia Espiritual Quentin Torrentino

Vocês viram esse clipinho que tá rolando no Youtube, com o Tarantino fazendo uma lista dos vinte melhores filmes feitos a partir de 1992 (quando ele, Tarantino, estreou como diretor)? A lista é alfabética, com exceção do primeiro título, que, segundo ele, é o melhor filme destes 17 últimos anos:

..Batalha Real / Batoru Rowaiaru (em inglês: Battle Royale, Kinji Fukasaku, 2000)
..Igual a Tudo Na Vida / Anything Else (Woody Allen, 2003)
..A Entrevista / Ôdishon (em inglês: Audition, Takashi Miike, 1999)
..A Lenda / Dao (em inglês: The Blade, Tsui Hark, 1995)
..Boogie Nights (P.T. Anderson, 1997)
..Jovens, Loucos e Rebeldes / Dazed & Confused (Richard Linklater, 1993)
..Dogville (Lars Von Trier, 2003)
..Clube da Luta / Fight Club (David Fincher, 1999)
..Sexta-Feira em Apuros / Friday (F. Gary Gray, 1995)
..O Hospedeiro / Gwoemul (em inglês: The Host, Bong Joon-Ho, 2006)
..O Informante / The Insider (Michael Mann, 1999)
..Zona de Risco / Gongdong gyeongbi guyeok (em inglês: Joint Security Area, Park Chan-wook, 2000)
..Encontros e Desencontros / Lost In Translation (Sofia Coppola, 2003)
..The Matrix (Andy e Larry Wachowski, 1999)
..Memórias de Um Assassino / Salinui chueok (em inglês: Memories of Murder, Bong Joon-Ho, 2003)
..Supercop / Police Story 3 (Stanley Tong, 1992)
..Todo Mundo Quase Morto / Shaun of the Dead (Edgar Wright, 2004)
..Velocidade Máxima / Speed (Jan de Bont, 1994)
..Team America - Detonando o Mundo / Team America (Trey Parker e Matt Stone, 2004)
..Corpo Fechado / Unbreakable (M. Night Shyamalan, 2000)

Só vi doze dos vinte filmes acima. Nenhum entraria numa hipotética lista. Com algum esforço, um deles, talvez dois, mas precisaria rever ambos. Mas é uma ótima lista para torrents, né não?
18:23:07 - Zeno -

21 Agosto

Muro na cabeça

Se você tem uns caraminguás guardados no colchão, a melhor maneira de aplicá-los é torrar tudo em euros e se picar para Berlim agora, pra mó de surfar na onda das comemorações de vinte anos da Queda do Muro. Se o seu orçamento anda mais difícil que uma refeição à base de muçuã na casquinha, o melhor a fazer é ficar de olho nos eventos brazucas, como os promovidos pelo Instituto Goethe, de São Paulo, e aproveitar para se lembrar, se é que você já esqueceu, que Berlim foi a capital do século XX. Hoje, por exemplo, rola um programa supimpa dentro do 20. Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo: uma seleção de curtas brasileiros e alemóns sobre os eventos de 9 novembro de 1989, com o ótimo título "Querida, teletransportamos o Muro". É na Cinemateca, é de grátis, é batuta.
10:38:58 - Zeno -

14 Agosto

À Deriva (2009)

A Documenta de Vincent Cassel.

(Voltamos com as resenhas de poucas palavras. E olhe que podia ser pior: "Beleza Roubada roubada", tascaríamos. Mas o filme é bom. Minhas esposa Íris adorou, apesar da preleção do Zeno, inclusive. A fotografia é linda, os atores estão muito bons e essa menina Laura Neiva é um estropício de extraordinária! Os coadjuvantes, no entanto, são uns canastrões.)
19:29:07 - Pinto -

11 Agosto

The Singing Detective (1986) Parte II

Bueno, vistos os seis episódios da série dá tranqüilamente para concordar com os fãs ardorosos do troço (no Imdb, por exemplo, o seriado atinge 9.2 de aprovação entre os usuários; acho que é o maior índice que já vi; o Poderoso Chefão, por exemplo, tem 9.1) e dizer que é das melhores coisas já feitas para o antigo tubo luminoso, atual display de cristal líqüido, que enfeita a sala. Há todo um conversê nos sites especializados a respeito dos traços pós-modernos do seriado e de como isso teria influenciado gente como o pilantra do Charlie Kaufman (valha-me), mas o melhor é deixar isso de lado e se concentrar 1) no modo pelo qual o seriado apresenta uma investigação da memória como doadora/organizadora de sentido (perdão), e aí a referência é o Resnais e - por que não? - o bom e não-confiável Proust; e 2) nos diálogos e monólogos escritos pelo Dennis Potter, uma incrível sucessão de pontos altos ao longo de seis horas, num ritmo que parece impossível de se obter mas que está lá, cintilando na boca de um bando de atores ingleses que conhecem o ofício, a começar pelo ator principal, Michael Gambon, que deveria ter sido canonizado depois do que ele fez na série.

[pra mó de comparação, vi a refilmagem do seriado em versão longa-metragem, de 2003 ("Crimes de um Detetive", em português), com Robert Downey Jr e Mel Gibson nos papéis principais, e a coisa toda é um exercicício didático de como se pode arruinar, cena após cena, algo que era brilhante na versão original]

Pra encerrar, uma fala do personagem do Michael Gambon, o escritor preso a uma cama de hospital, a respeito da arte de se escrever romances policiais e de como isso poderia se chamar Vida: Modo de Usar, se um outro escritor danado já não tivesse usado esse título antes:

"Só soluções, nenhuma pista. É isso que os idiotas querem. É assim que funciona a porcaria do romance: 'ele disse', 'ela disse' e descrições de como era o céu. Eu gostaria que fosse ao contrário. Só pistas. Nenhuma solução. É assim que as coisas são. Muitas pistas. Nenhuma solução."

(parte I aqui)
13:00:31 - Zeno -

05 Agosto

The Singing Detective (1986)

Um amigo cineasta de alma mais caridosa havia me dado a dica há tempos, mas só agora consegui baixar o seriado acima, tido e havido por gente séria como um dos melhores (o melhor?) seriado de TV de todos os tempos (superlativos, por que não usá-los?).Pra quem nunca ouviu falar de Dennis Potter, o roteirista inglês que escreveu o troço, há bons verbetes da Wikipedia aqui e aqui. Uma página dedicada a destrinchar o seriado é esta aqui.

Vi ontem o primeiro episódio (de um total de seis) e duas falas pulam da tela diretamente para qualquer antologia de humor digna deste nome. Na primeira, o personagem principal, que sofre de uma doença horrível que descama sua pele toda, recebe um banho de vaselina da enfermeira gostosa e tenta com todas as forças não ficar de pau duro. Segue seu monólogo interior:

"Think of something boring. For Christ’s sake, think of something very very very boring. A speech. A speech by Ted Heath. A sentence, a long sentence from Bernard Levin. A quiz by Christopher Booker. No – oh think think think – ! Really boring! A Welsh male-voice choir. Everything in 'Punch'. Wage rates in Peru. James Burke. 'Finnegans Wake'. All the bloody Irish. The dog in 'Blue Peter'. Brian Clough and especially James - Henry and Clive. Australian barmen. Ecologists. Semiologists. Guardian Woman's Page. Dear Christ. The Bible. Oh God. Reader's Digest Special Draw Prize. No no. Think. Bible. Bible Psalms. Solomon Song. 'Thy breasts are like...'. Oh no no no..." [Leia mais!]
16:54:08 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: August 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.