:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Filmes esquisitos

Nós gostamos mesmo é do escurinho.


.:: mês anterior :: :: :: :: October 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.

22 Outubro

Distrito 9 (District 9, Neill Blomkamp, 2009)

O bonequinho viu e gostou, aplaudindo. E olha que os sujeitos enfrentaram uma das piores armadilhas pra quem faz cinema: uma idéia inicial tão boa, mas tão boa, que qualquer coisa que se faça com ela vai ficar aquém das potencialidades. O filme parece um catálogo de cenas que você já viu em outros lugares misturado a um punhado de boas idéias novas (mas não no sentido costumeiramente atribuído ao Roberto Campos, segundo dizem, numa banca de defesa de tese: "O seu trabalho tem coisas novas e boas. Pena que as boas não sejam novas e as novas não sejam boas"). Ligado o liqüidificador que processa as referências (lembrei até de "Inimigo Meu", ficçãozinha com o Dennis Quaid e o Lou Gosset Jr., este no papel do alienígena), é difícil distinguir o botão do pulse do botão de stop, e talvez esse seja o pecado maior, isto é, não saber o momento de parar: os clichês se acumulam no terço final e a cena da armadura robô, a la Robocop ou mesmo Transformers, francamente é de lascar. Outro problema, que não é do filme mas de quem assiste, é o tal "ímpeto interpretativo": sai-se muito melhor quem toma o filme pelo seu valor de face, por aquilo que ele apresenta, do que quem toma o filme por aquilo que ele representa, metaforiza, simboliza ou valha-me deus outros "iza"s. Pra encerrar, outra idéia boa é a de deixar a cargo dos depoimentos "fake" dos especialistas a função explanatória do filme, com os dados, informações, análises, etc, que tradicionalmente são jogados nas costas dos coadjuvantes com a ingrata tarefa de explicar as coisas. Se eu fosse a Aracy de Almeida, dava três galos, duas pernas e um troco. Como não sou versado em gíria carioca dos anos setenta, dou um oitão com louvor. Me diverti à beça.
22:15:11 - Zeno - 3 comentários

17 Outubro

Bastardos Inglórios (2009)

— O que o senhor ouviu falar sobre os Dreyfus, Monsieur LaPadite?

— Apenas rumores.

— Adoro rumores. Fatos podem ser tão enganosos, ao passo que rumores, verdadeiros ou falsos, são quase sempre reveladores. Então, Monsieur LaPadite, quais rumores o senhor tem ouvido sobre os Dreyfus?

Diálogo entre o coronel SS Hans Landa e o pecuarista Perrier LaPadite, na abertura de Bastardos Inglórios, extraído do livro-roteiro, que surpreendentemente traz algumas cenas-chave excluídas da tela.

O diálogo é pretexto para três coisas: levantar o nível do blogue, provocar o Zeno (que torce a boca quando ouve falar no nome do diretor) e comentar o melhor filme da carreira de Tarantino até aqui. Não por acaso, é uma fala do seu alter-ego Aldo Raine (Brad Pitt): "Acho que acabei minha obra-prima", no desfecho do filme.
19:58:11 - Pinto - 4 comentários

.:: mês anterior :: :: :: :: October 2009 :: :: :: :: próximo mês ::.