:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


A hora do DJ Mandacaru

Velharias musicais sempre fresquinhas.


.:: mês anterior :: :: :: :: May 2010 :: :: :: :: próximo mês ::.

19 Maio

Música funcional



Depois vocês dizem lá nos comentários se funcionou.
[Leia mais!]

12 Maio

Requiescat in pace



Pois é, a D. Lena Horne. Papocou domingo agora, com 92 anos. Para a geração do meu pai, era um monumento. A primeira mulata a fechar o comércio da Rodeo Drive na década de 40. Fosse brasileira, seria barbada para Miss Renascença, teria complicado a carreira da Adele Fátima, a musa do nosso editor-em-chefe, ou da Marina Montini, por quem babava nosso correspondente no hinterland paulista.
Dona Lena também era uma moça de cabelinho na venta: enfrentava quaisquer manifestações racistas, que não eram poucas na época, nos EUA. Se você tem interesse na vida dela, acabou de sair uma biografia bacaninha, do James Gavin, por menos 11 dólares tu arrasta ela na Amazon.

Era melhor performer do que cantora, o que não quer dizer que não cantava bem. Se vocês duvidarem, peguem aí uma seleção que fiz de uns sete discos dela, here, there and everywhere. Só filé. [Leia mais!]

05 Maio

Errou, cachorra!



Foi lá pelo finalzinho da década de 70. Irmão meu saiu daqui pros estêites desenganado por um caranguejo. Viajou só pra confirmar que não tinha jeito, na visão caolha dos jalecos brancos que cuidavam do assunto. Puta galo brigador, espalhou penas por tudo que foi Boston durante um ano. Tá vivo, forte e sacudido até hoje, mais saudável do que os que ficamos. A filhadaputa da indesejada das gentes passou raspando e até hoje não achou o caminho de volta. Sorte nossa, que continuamos nos aproveitando da sua presença, do seu amor pelos amigos.

Mas a conversa é música, certo? Enquanto meu compadre tava por lá descobriu um LP duplo do Chuck Mangione, "Children of Sanchez", trilha sonora de um documentário e do perrengue que ele passou por lá, se vocês quiserem saber mais perguntem pro PMDB ou, melhor, pro editor-em-chefe, que está com o saco em brasas de tanto coçar. Veio o exemplar dele mais um de presente pra mim. Durante anos, cada vez que a gente se encontrava, na casa dele ou na minha, sempre rolava o disco, uma maneira, sei lá, de a gente se garantir que estava vivo e que isso iria se prolongar enquanto a gente se aguentasse.

Vejam aí como rola procês. [Leia mais!]

04 Maio

O finlandês que veio do frio



O negócio que vocês vão ouvir aqui foi resultado de uma conversa de horas com o meu filho, minha principal fonte de informações musicais noves fora os dukeellingtons da vida.
O cara é tido por alguns (gostaram da precisão jornalística?) como o Jimi Hendrix da sanfona, se é que isso quer dizer alguma coisa. Poderia ser, também, o Hermeto do Círculo Polar Ártico.
Enfim, eu nunca tinha ouvido nada parecido com o Kimmo Pohjonen.
Se virem aí com Kluster, de 2002.
[Leia mais!]
21:37:00 - DJ Mandacaru - Comentar

.:: mês anterior :: :: :: :: May 2010 :: :: :: :: próximo mês ::.