:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Zenices

Pensamentos de Zeno acrescidos de pérolas de igual verve vindas de procedência vária.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.

21 Março

Frases inesquecíveis da humanidade, ou Tudo na vida tem uma compensação

"Os óculos podem ser para vista cansada, mas com eles meu pau fica ainda maior".

Cidão, contínuo aqui da Redação.
10:00:23 - Zeno -

17 Março

O Estado Babá e a direita babona

Quase passa batida a notícia de mais um convescote do inacreditável Instituto Millenium. Tudo ali é um deleite:

1) a manchete na voz passiva;

2) o chiste automático que vem com o título "O Estado Babá", aí acima;

3) o patrocínio da Souza Cruz, entre outros eleitos (perdão, fumantes);

4) a contradição evidente entre o que se diz propor ("O Estado para servir ao público") e o tamanho deste mesmo Estado, que está ausente onde mais se precisa dele, como nas favelas, por exemplo;

5) a deliberada confusão que se faz entre qualquer tipo de regulamentação e o desgastada palavra censura, que aqui tem o mesmo peso semântico de termos como "liquidação", "qualidade de vida" e outros jargões;

6) a profissão-de-fé na liberdade de imprensa num País que tem tudo menos isso;

7) a comparação com outros países, que dispõem de luxos como TV pública (coisa que por aqui é esconjurada) e outros mecanismos de controle da predação privada –vale lembrar que a crise global dos mercados se deu pela falta de intervenção e controle estatais.

8) O primor e cinismo contido na frase "O excesso de regras e restrições infantiliza a sociedade". Então tá. O Big Brother é que a edifica.

Tem mais, mas quer saber? Como eles costumavam dizer, Cansei.
08:35:31 - Pinto -

"Brotando do impossível chão"

Eu tenho medo

Não podíamos nos furtar (apropriado verbo) de dar nosso pitaco nessa lenga-lenga toda envolvendo Maria Bethânia e seu blogue de 1 milhão.

Sou pessoalmente contra –acho que nem a artista nem o público precisam da iniciativa, e dinheiro público oriundo de renúncia fiscal só deveria fomentar quem não é viável comercialmente: quem o "mercado" ignora–, mas se a grita valer para ela tem que valer para todo mundo, principalmente e sobretudo para a temerária e temerosa Regina Duarte.

O crédito da notícia, como se pode perceber, vai para minha fonte primária de informação, Peçonha Sacy. Não saio de casa sem ela.
08:00:56 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.