:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


A hora do DJ Mandacaru

Velharias musicais sempre fresquinhas.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.

24 Março

Eu ouvi o clamor do meu povo


"Bolacha é a mãezinha, viu Zeno? Eu gravo é CD"

Ói, seu editor, se tu quer mesmo incrementar a audiência do botequim, acho bom a gente enterrar de volta esses mortos-vivos. E convocar de volta a juventude estudiosa de meu país.
Vamo de Lea DeLaria, o de 2005 (se me perdoam essas modernidades), Double Standards. Coisas do Neil Young, Green Day, Jane's Addiction. Blondie e Soundgarden (desse aí, conheço dois, mas a garota se garante).
Vocês procurem aí nas wiki, mas o The New York Times acha que ela é "every inch and ounce a star". E tem onça ali. A Fôia ainda num prestou tenção, mas vão esperando.
E, sim, a nuvem de som não deixou eu botar provinha. [Leia mais!]

2 em 1

"Também fiz a da Inez, vão encará?"

Vocês vão me desculpar, mas essa é só pra diretoria. E por um motivo simples: são 330MB de FLAC, vai dar mais trabalho baixar do que ir até até à bodega da esquina e procurar o original.
São dois discos do baterista Chico Hamilton com músicas do Ellington. O primeiro, de 1958, só foi distribuído para emissoras de rádio. E sumiu.
Um ano depois o Chico reuniu outra turma e gravou quase o mesmo repertório. Esse foi lançado no mercado, vida normal, deve de ter nas bodegas, acho.
Aí, em 1995, um mad dog englishman, descobriu num sebo em Brighton (a cidade predileta do Zeno para veraneio) o disco original. Orgasmos múltiplos na Capitol, a dona dos fonogramas, que lançou o CD cinco anos depois.
A historinha toda está contada num TXT que faz parte do pacote e foi colocada na roda pelo excelente Quintesencia (dá prá ficar, fácil, mais de semana fuçando o arquivo do cabra). Vai sem provinha, que os arquivos estão pesadíssimos, mas, acreditem, vale a hérnia. Deixem baixando na madrugada e vão fazer coisa melhor. [Leia mais!]

Acabou o encanto

Os zumbis deram uma trégua e eu ando encasquetado com “The Thrill Is Gone”, o standard dos anos 30 (não a música homônima do B. B. King) na gravação do Chet Baker. Encasquetado pelo seguinte: a letra é vagabundérrima (“nights are cold/Love was old”), as versões todas que conheço escancaram a má qualidade do material, e no entanto o diabo do Chet consegue, com um mero escandir de sílaba, dar todo o recado da bagaça e responder à irrespondível pergunta; “como acaba um amor?”. Estou falando, claro, da esticada que ele dá no segundo “thrill” ao final da canção, aos 2’37’’.

O Chet está aqui.

A belezura da Julie London está aqui.

A Ella Fitzgerald, com o Joe Pass, está aqui.

Uma versão mezzo bacaninha, mezzo gritada, com Chris Connor, está aqui.

E um crime musical, com Hadda Brooks, está aqui.

E mais sobre Chet Baker, em textos do botequim, aqui.
20:43:37 - Zeno - 3 comentários

A ressurreição da Carole


Zeno? Zeno? Sou eu, Zeno...

Leitores pouquinha coisa mais atentos já devem ter percebido que o DJ aqui é chegado naquele povo que, apesar de competente, gravou um, dois discos e sumiu. Nosso editor já chegou até a oferecer financiamento para uma meia dúzia de sessões com o Contardo, prontamente recusadas que eu não sou de ficar trocando intimidades com quem não conheço.
Esse é o caso da Carole Creveling. Um só LP gravado, em 1955, e arrancado da tumba pelos zumbis japoneses (ficou bem, Zeno?).
Uma alma-irmã fez a caridade de puxar a capivara, organizada e colocada no Google Docs, se é que sei fazer a manobra.

1 My Old Flame by DJ Mandacaru

14 Between the Devil and the Deep Blue Sea by DJ Mandacaru [Leia mais!]

21 Março

Euterpe hipopotâmica

Como uns e outros, Cidão também tem sua trilha sonora. Cortesia do Ed Lincoln.

E o Cid by DJ Mandacaru

19 Março

Incompatibilidade de gênios

Pra gente não perder a perspectiva histórica:

16 Março

Sarney Doesn't Live Here Anymore




Eu não vim aqui para discutir baixos instintos de nenhum editor-em-chefe, até porque os proventos que recebo do HZ sustentam perfeitamente meu blackzinho red. Se o homem gosta e só proximos a ele sofrem, por que não?
Ouçam aí o que o Zeno ouve enquanto torce desesperadamente para alguém tremer dentro do vestido.
[Leia mais!]

05 Março

o carnaval chill out do manda

num entendo uma palavra mas achei lindo.


(crdt. pv, via ln)

04 Março

A outra Inez


"Ainda bem que eu não gravei Moonlight in Vermont"

Uma rapidinha, que os clarins estão me chamando.

Essa aqui foi desencavada na Marché Discos, do meu amigo Mario Gabai, o sebo-boutique mais bacana que já frequentei aqui em Sampa. Todo bamba que, por um motivo ou outro, precisava se desvencilhar dos bolachões acabava na mão do Mario, para grande alegria dos pervertidos que nos reuníamos lá todas as manhãs de sábado.
A Inez Cavanaugh veio diretamente da discoteca do Telmo Martino. Só conheço esse LP da nêga, nunca vi em CD. O pianista acompanhando é o Teddy Wilson, que, entre outras, serviu Billie Holiday, Lena Horne e Helena Ward.

02-I'll Never Be The Same by DJ Mandacaru


10-I Want Something To Live For by DJ Mandacaru [Leia mais!]

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.