:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Eu me envergonho

O lado B do Je me souviens.


.:: mês anterior :: :: :: :: May 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.

24 Maio

Um guia para a sinhá moderna

Isto estava no UOL, onde mais, mas já foi para o saco. O cache da página está aqui. O conteúdo fica transcrito abaixo, que o que é de gosto regala a vida:

Empregada doméstica - Aparência - Parte VI

Por Bebel Ferreira
Simpatia, simplicidade, são fatores determinantes.

Empregada doméstica - Aparência - Parte VI
Se a aparência for boa demais.

Cuidado!

Vai querer ser a patroa.
O quesito "Aparência" é importante, mas não determinante.

Isto é, como diz a sabedoria popular:

"As aparências enganam".

Empregada doméstica - Aparência - Parte VI
Mais importante do que a aparência é a simpatia, o bom humor, a vivacidade.

O principal é que você simpatize com a candidata, pois irão conviver da manhã à noite.

Uma moça que você vê que é educada, limpinha, está vestida modestamente, mas com decência. Com certeza um primeiro passo está dado.

Se os outros quesitos necessários para a contratação forem preenchidos, logo você fará com que ela fique fina e com boa aparência.

Não tenha medo de corrigi-la com carinho.

Se ela falar uma palavra errada, se ela tiver uma postura menos educada, se ela falar gíria, ou a "Dona" ligou, corrija-a no ato. Este é o reforço mais eficiente que existe, o reforço imediato. Aos poucos ela se tornará uma pessoa fina, educada e com ótima aparência.

Lembre-se: "Ninguém nasce sabendo".

Ensine-a.

Se a moça aparece para uma entrevista de emprego, mal arrumada, não muito limpa, desleixada, fica difícil contratá-la.
E se ela estiver vestida inadequadamente, com uma roupa de festa?

Posso contratar?
Também, se ela está vestida como para ir a uma festa-baile, ou com roupas de marca, ou com roupa "vira bolsinha", não dá, ela está mostrando sua personalidade.

Você também precisa simpatizar com ela. Lembre-se de que vai vê-la de manhã à noite.

Empregada doméstica - Aparência - Parte VI
Quando ela estiver de uniforme, sua aparência será outra. Eu prefiro uma pessoa mais humilde, que tenha chegado há pouco tempo à cidade grande, pois esta ainda não a estragou.


Mais sobre Nhá Bebel, aqui.
17:16:35 - Pinto -

12 Maio

Perfil de uma brasileira

Tarja preta
A jovem A▆▆▆▆▆▆ R▆▆▆▆▆ mora em Itajaí, interior de Santa Catarina, é nativa do signo de Capricórnio e deseja ser geriatra quando crescer. Estuda no colégio Fayal e, religiosa, frequenta a Paróquia de S. Domingos. Pena que ela não aprecie usar metrô.
06:27:28 - Pinto -

11 Maio

Continue pensando assim, São Paulo

Transcrito da Folha de hoje, grifo meu:

Após protestos, governo desiste de metrô na Angélica

Estado tira estação da principal via de Higienópolis, bairro da elite paulistana, e cria uma no entorno do Pacaembu

Em Higienópolis, moradores dizem que "prevaleceu o bom-senso'; Associação Viva Pacaembu reclama

JOSÉ BENEDITO DA SILVA
DE SÃO PAULO

Após pressão de moradores, empresários e comerciantes de Higienópolis, bairro de alto padrão no centro da capital, o governo de São Paulo desistiu de uma estação do metrô na avenida Angélica, a principal do bairro.
A estação integraria a linha 6-laranja, que vai da Brasilândia (zona norte) ao centro, passando por bairros como Perdizes, Pompeia e Santa Cecília e universidades como Mackenzie, PUC e Faap.
Com isso, o governo reativou o projeto de uma estação na praça Charles Müller, no estádio do Pacaembu.
A proposta de instalar a estação Angélica surgiu em junho de 2010, sob o argumento de que uma pesquisa mostrava que havia demanda de passageiros no local. Já a nova configuração foi apresentada pelo Metrô em audiência pública na semana passada.
A mudança veio após protestos da Associação Defenda Higienópolis, que reuniu 3.500 assinaturas contra o plano, com campanhas na rua e no Twitter.
Os moradores alegavam que a nova estação ampliaria o fluxo de pessoas no local, com o consequente "aumento de ocorrências indesejáveis", além da transformação da área em "camelódromo".
A entidade também apontava que a região já tinha estações suficientes. "Prevaleceu o bom-senso", afirma o presidente da associação, o empresário Pedro Ivanow.
A Angélica, alega Ivanow, ficaria a três quadras da estação Mackenzie e a quase 2 km da PUC-Cardoso de Almeida.
Segundo ele, em reunião na última semana de abril, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, concordou com o argumento. "Ele me disse que era totalmente favorável à exclusão da Angélica", diz.

PACAEMBU
A reviravolta irritou a Associação Viva Pacaembu. "Se o governo desistiu por pressão, sem considerar a análise prévia de demanda, acho pernicioso", diz a presidente, Iênidis Benfati.
Para ela, o principal problema da estação Pacaembu será em dias de jogos. Hoje, diz, as torcidas são pulverizadas pelas estações Sumaré, Clínicas, Marechal Deodoro e Barra Funda. "Até a PM não recomenda centralizar a torcida em uma estação."
Não foi a primeira vez que o governo Geraldo Alckmin (PSDB) desistiu de uma estação após protesto. Em 2005, ele abandonou a ideia de construir a estação Três Poderes, da linha 4-amarela, na região do Morumbi, depois de pressão de moradores.
10:14:08 - Pinto -

.:: mês anterior :: :: :: :: May 2011 :: :: :: :: próximo mês ::.