:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


Zenices

Pensamentos de Zeno acrescidos de pérolas de igual verve vindas de procedência vária.


.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.

30 Março

Campanha contra a felação IV

"Por mais que os homens me olhassem feio no começo, nunca baixei a cabeça."

(Freddie Mercury, Live from Heaven)
15:22:00 - Mathieu -

Campanha contra a felação III

"Por mais que os homens me olhassem feio no começo, nunca baixei a cabeça."

(Heloísa Helena, Idade Média - alguém tem dúvida?-, em discurso no Senado)
12:51:00 - Mathieu -

Campanha contra a felação II

"Por mais que os homens me olhassem feio no começo, nunca baixei a cabeça."

(Joana D'Arc, Idade Média, direto da fogueira)
10:49:59 - Mathieu -

Mulher perfeita I

Ela tem seios fartos, nariz grande, seu peso está muuuuito acima do que outras mulheres suportariam sem um laxante ou algum procedimento bulímico, come com as mãos, cozinha que é uma beleza e atende pelo nome de Nigella.

Ah! Vem com um controle remoto.
10:46:52 - Mathieu -

Campanha contra a felação

"Por mais que os homens me olhassem feio no começo, nunca baixei a cabeça."

(DJ - ou "Djéia, como dizem alguns" - Roxy, em matéria sobre a invasão das mulheres no comando das pick-ups dos clubes noturnos de São Paulo, ontem no Estadão)
10:30:16 - hubbell -

27 Março

Clássicos do Cancioneiro Popular Revisitados/Chico Buarque


Trocando em Miúdos

-Devolva o Neruda que você me tomou e nunca leu.
-Pode levar.
18:24:44 - hubbell -

Mais uma crise: a do teatro brasileiro (parte II)

"As dificuldades financeiras, somadas às contingências do mundo moderno, roubam a mulher de casa e a empurram para o escritório ou a fábrica."

(Juca de Oliveira, na mesma matéria citada)

Lôco, né?
12:40:38 - Zeno -

Mais uma crise: a do teatro brasileiro

"Em meus estudos de genética e biologia, percebi que o comportamento do homem muda com o tempo, mas o instinto ou as tendências genéticas presentes no nosso ancestral selvagem continuam a comandar a maioria dos nossos atos".

(Juca de Oliveira, em matéria publicada no Estadão de hoje)

Lôco, né?
12:37:31 - Zeno -

23 Março

O sono dos justos

Eu me lembro do final de um conto do Jack London, "Moon-face", em que o narrador, depois de ter assassinado seu insuportável vizinho (que poderia ser uma espécie de duplo dele mesmo), descreve assim seu estado de espírito: "My days are peaceful now, and my night’s sleep deep".
13:17:50 - Zeno -

Procura-se VII

Estou à procura de um conto de tipo erótico-"putaria elegante" onde possa encaixar o seguinte trecho: "ela era uma manifestação do absoluto, um vislumbre do eterno-feminino no meio dessa empiria sem-graça em que vivemos". Pago bem. Sigilo garantido. Cartas aqui pro blog.
13:04:53 - hubbell -

17 Março

Serviço de Entregas Jiffy Express

(Requentando marmita alheia: sketch do Saturday Night Live, circa 1992)

CENA 1
(Entregador): -Encomenda para a Senhora Culler.
(Mulher): -“Feliz aniversário, do Larry”. Meu aniversário foi há três semanas. Hum, é típico do meu irmão.
(Entregador): -Acho melhor a senhora olhar a data de envio.
(Mulher): -Três de outubro? Então ele enviou a tempo!
(Entregador): -Sim, senhora. A culpa não é do seu irmão. É nossa.
(Mulher): -Hein? Mas isso é inadmissível. Ele teve um trabalhão e vocês sentaram em cima do pacote por um mês.
(Entregador): -A senhora tem toda a razão. Isso é inadmissível.

(Locutor): Na Jiffy Express, nós sabemos como é importante ser pontual. E sabemos também que, às vezes, você não consegue – é quando você chama a Jiffy. Nós levamos o pacote e a culpa. [Leia mais!]
19:52:49 - Zeno -

02 Março

Diário de um mago

A sincera contribuição de Ronaldinho Gaúcho ao aprimoramento das relações diplomáticas entre Juazeiro (ou Aparecida do Norte) e Santiago de Compostela nos fez lembrar de história verídica ocorrida há pouco com um amigo do blog. Homem de fé, fez a peregrinação de 750 km pelo norte da Espanha com as dificuldades sabidas. Ao regressar ao Brasil com seu lado espiritual supostamente mais elevado, decidiu terminar um casamento de 22 anos. Alguns amigos mais próximos e de temperamento bem menos religioso resolveram fazer uma operação algébrica sentimental e chegaram ao número místico: para cada ano de casamento a ser rompido, 34 km de caminhada. O que se viu nas semanas seguintes foi uma corrida – literal – às pistas de atletismo de São Paulo. Em alguns casos, os menos fervorosos, decerto, bastou uma ida à padaria mais próxima.
09:07:11 - Zeno -

.:: mês anterior :: :: :: :: March 2004 :: :: :: :: próximo mês ::.