Folhinha da Seicho-No-Ie: em sampa agora, uísque, só purinho...



Editoriais

[Estamos sempre mudando de opinião.]


todo o apoio à AMS – Brasil

como sói acontecer em nossas missão neste boteco, jamais deixaremos de apoiar causas como essa:

e estaremos presente sempre que chamados


a vida como ela vencendo

1- brasil 1x1 chile, tempo normal (gols 1º t.), 0x0 prorrogação, 3x2 penaltis-brasil,
2- colombia 2x0 uruguai, tempo normal (1 gol em cd tempo),
3- frança 2x0 nigéria, tempo normal (gols final 2º tempo),
4- alemanha 2x1 argélia, gols na prorrogação,
5- holanda 2x1 méxico, tempo normal (mex. 1ºt, hol. 2ºt.),
6- costa rica 1x1 grécia, 0x0 prorrogação, 5x3 penaltis-costa rica,
7- argentina 1x0 suiça, 1x0 prorrogação,
8- bélgica 2x1 estados unidos, 0x0 tempo normal, 2x1 prorrogação.

todas as partidas, umas verdadeiras pedreiras.
cada time quase no mesmo nível do adversário.
a começar de times antes sem tradição de futebol e talento organizados.
esta deve ser uma das copas c/ mais prorrogações de todas.

todos os estádios funcionando e lotados, quase todas as cidades e bares também,
e todos os cronistas do mundo ocupados, e felizes, c/ isso.

eu queria que a vida fosse melhor,
tenho até idéias p/ isso,
até ouvi caras falando montes,

mas nenhum projeto,

nem assim tão grande,
nem tão realizado quanto estes 9 acima.


prestencao

essa copa mudou muitas coisas de lugar aquê.
e botou outras tantas de volta,
nos próprios e em nós mesmos.

p.ex. (2º consultores locais):

neymar como um garrincha, (contemporâneo - n.r.).

isso não é só lindo, isso se renosdefine, e na paulada do funquiostentação, entroutros.

sabemos, é difícil, mas é um interessantíssimo recomeço.
imagina austríaco reconstruindo viena pós-2ªguerra.
ou russo nas cidades deles...
ou amerigano pós-secessão...

não consegue?
então tá, tranquilo, segue nessa sua, na boa.
a editoria compre.end you


ofuton

sentaquelavemistoria:

e desliga a muzguinha, quela perde pro tempo de fabrico da coisa,
barbaros oxi.dentais...

mas só para e olha (e deixa ele se divertir um pouco, assim, sem voce no meio, sacumé?):



ah, entã era isso...

bom, p/ variar, minha memória de curto prazo não me ajuda*:
não sei qdo comecei a frequentar direito, sei que foi no começo, um amigo indicou, achei os caras engraçados, mandei minhas 1ªs letras.

e me fodi.

dali pro bar c/ a turma foi um passo, dali pra sarjeta, nem isso (malditas calçadas...), dela padentro do buteco, só vi no dia seguinte: acordei, olhei pro lustre e pensei - porra, esse não é o de casa.

nesses 10 anos, 99% dos lugares em que nasci, morei, cresci, frequentei, curti, odiei, sabia-e-perdi-o-dia e todos os outros etcs., simplesmente sumiram, soterrados por grossa camada social de crasemérdia aspirante a donodemírdia.
e mandei-me daí pras highlands, puto c/ o sucesso do projeto urbano-existencial dos meus inimigos e abismado por uma questão: como podem detestar tanto um lugar tão legal...?

nunca intindí como um lugar que gera uma canaglia como a que frequenta essa bagaça**, pode ser tão maltratado.
só mesmo essa gangue p/ nos fazer insistir, pq. sampa é q'nem ressaca, sem uma turma boa de garfo e copo, a gente não empurra pro dia seguinte.

* pinto, desorte que cê tem mt. coisa boa ainda pela frente
** ibidem


E assim se passaram dez anos


Direção Geral: Zeno
Direção Artística: Lama
Cenário: George Smiley
Figurinos: Pinto
Arranjos: DJ Mandacaru



Dez Anos de Hipopótamo Zeno

É hoje. No longínquo 22 de outubro de 2003 nascia o blog, pela obra e graça do Espírito Santo e da plataforma Nucleus, ambos já falecidos. Procês terem uma idéia (aliás, "idéia" se escrevia assim):

..em 2003, o Obama era senador pelo Illinois.
..em 2003, o pré-sal era aquilo que vinha antes dos temperos da salada.
..em 2003, o Ipod tinha acabado de ser inventado.
..em 2003, o mensalão era quando você ganhava uma bolada num determinado mês.
..em 2003, o vencedor do Oscar foi "Chicago", valha-me.
..em 2003, o Palmeiras jogava na segunda divisão do Campeonato Brasileiro (ops).
..em 2003, eu era 10 anos mais moço.

Só nos resta uma coisa a fazer: rumo a 2023. Sempre foi e é muito divertido escrever aqui no blog, ainda que "escrever", blog" e mesmo o conceito de "aqui" andem bem mal das pernas.


Dez anos de Hipopótamo Zeno

"Mas, afinal, esse blog de vocês é de direita ou de esquerda?" é uma pergunta que já nos foi feita diversas vezes, mas não tantas quanto as que a revista The Economist teve de responder. No seu aniversário de 170 anos (!), o blog da revista responde a esta e a outras dúvidas do público leitor. Vale a pena o clique, aqui, ó.

E como o assunto é a Ilha de Albion, veja aqui, ó, matéria do Telegraph sobre aquelas expressões inglesas tradicionais e o que elas realmente querem dizer. Dá até pra fazer uma versão brazuca, com algumas equivalentes. ( crdt do link: fmp)


Dez anos de Hipopótamo Zeno

Ainda não se iniciaram as comemorações, mas segue abaixo uma primeira troca de e-mails internos com sugestões sobre o lugar a ser escolhido para os festejos:

[Lama] "Casa de Francisca com show do Arrigo".
[Mandaca] "Casa André Luiz com show do Itamar".
[Pinto] "Casas da Banha com show da Preta Gil".
[Mandaca] "Casas Bahia com show do Gil, Caetano e João Gilberto (que vai fazer forfait)".
[Pinto] "Casa Civil, com show da Adriane Galisteu, Claudia Leite e Gleise Hofmann (que vai ficar puta com a concorrência desleal)".
[Mandaca] "Casa de Ruy Barbosa, com show do Fux e Kakay. Toffoli vai de garçom mesmo".
[Mandaca] "Casa da Eni: precisa nem de show".
[Pinto] "Casa do Caraio, mas é meio longe e vou ter dificuldade de ir. E a frequência lá não é essas coisas".
[George] "Casa de espeto o pau é do ferreiro".



eles lá e nós aqui:

davi luiz é meu deus
e neymar meu tupã

e fred é meu francisco lisboa,
finalmente inteiro agora,
e capaz do rococó máximo, onde
c/ curvas terríveis em infernos brutais,
pare um pé da própria barriga
e enfia um gol q'nem um shaolin soccer.

num dos 5 melhores goleiros dessa historia toda.
e dos melhor da economia moderna.

só porquê, no taj mahal do futebol arte
didi vos olha a tudo e todos.

comprendes iniesta?

donde, americanos:

finalmente nossa seleção faz em campo o que fazmos nas ruas.

e a várzea é meu pasto
e o maracanã meu templo.

e amem

-no
ou deixem-no.

e mais porques:
porque neste preciso momento, fodam-se os porquenãos.


"hoje, "molequ@s,

"o dia foi seus."

w.s., a respeito do henri 5º.

e o que é mais legal:
vcs sabem a idade de cada um, nessas hora de cada um deles?
não importa, mas não percam.

só sigam e avancem.

e deixem os demonios conosco.


Escrete para a Copa das Confederações

Desde ontem a coisa mudou de figura

(na foto, a linha de ataque do Hipopótamo Zeno Social Clube: Johnnie, Goethe, São Benedito e o Ativista Antes Conhecido Como Vinagre)


"Whisky, leave me alone"

Quatro quintos da redação do Hipopótamo Zeno se reuniram ontem num boteco para discutir os rumos do blog neste que será seu décimo ano de existência. Não tinha como dar certo. A começar pelo fato de que ninguém lembrava mais o que era um "blog". Tentativas de explicação - "é uma palavra escandinava", "não era uma sigla, b.l.o.g.?" - naufragaram com louvor e distinção nas duas garrafas de uísque e três de vinho que passearam pela mesa, para alegria dos debatedores blogueiros e da conta bancária do dono do bar, que teve até o pai lembrado por um slogan desabonador ("Bosta por bosta, vote em xxx xxx Costa") usado em longínqua campanha a vereador por SP.

As conclusões do encontro? Rapaz, não lembro nem como cheguei em casa. Aliás, lembro, porque o EasyTaxi é uma espécie de Aplicativo Anjo da Guarda dos bebuns desta cidade.

Os rumos do blog, em pleno décimo aniversário? São muitos, como naquele sketch famoso do Monty Python sobre os 100 metros rasos olímpicos para pessoas com problemas de orientação.

As certezas, neste mundão facebookiano e twitteiro? Há várias, a começar pela mudança de plataforma do Nucleus (se ninguém lembra o que é um "blog", o que dizer do "Nucleus"?) para o Wordpress. Outra certeza: mulheres nuas. Ninguém falou a respeito, mas tenho a infundada crença de que mulher pelada é sempre uma boa. E música, que é a seara do nosso DJ Mandacaru, carregando a tocha (<- atenção, revisor) nestes últimos e não tão últimos tempos. E poesia + análises sócio-financeiro-sentimentais, que é a seara do nosso George Smiley, verdadeiro Quixote a esgrimar a Veja, o Estadão, o FHC e a má arquitetura que tomou conta do país nos mesmos últimos tempos.

Não tinha e não tem como dar certo. E é por isso que estamos aí. Como dizia o slogan da saudosa revista de quadrinhos Animal, meados dos anos 80: "feio, forte e formal".

Longa vida ao Hipopótamo.


hard times: presence: gift

tempos heróicos esses
e já vos aviso logo:
como sói: terriveis. [Leia mais!]


aosdiasdelas

homem nunca tem muita coisa pra oferecer.
- homem é meio burro, nem sabe falar direito -
talvez pouco mais que a si mesmo.


Noite Feliz

Estou de férias desde o início de dezembro, em lugar ermo, úmido e sem contato com as benesses da vida moderna, como luz elétrica, rede de esgoto e compras de véspera de Natal em shopping center. Sinto falta dos amigos. Sinto falta das luzinhas chinesas que enfeitam a cidade. Mas sinto mais falta de uma bateria extra que me permita terminar este texto de despedida e votos de fim de ano. Aos que nos lêem, persistentes, um grande beijo, um grande abraço e a companhia próxima dos próximos. Aos que aqui escrevem, wikileakanamente incansáveis, uma promessa de garrafa de uísque quando eu voltar. Ao Pinto, nosso Redator-Chefe, os cumprimentos pela recente e sensacional idéia, um peru de Natal equipado com aquela pecinha vermelha de plástico embutida, mas em versão 2.0: em vez de simplesmente avisar quando o bicho está pronto, ela agora indica o grau de gostosura de quem se aproxima da mesa da ceia, pra cima e pra baixo, pra cima e pra baixo. Vai deixá-lo milionário.


Cumprimentos da Estação Finlândia



Reeditando um antigo hit aqui da casa, agora na época certa. Como diz o outro, seje felizes!


daqui a pouco

saio pra votar.


lembre ou lamba, pobrema seu
(crdt. um cara em paz)


como isso me deixa contente.
quase sempre eu errro,
mas como é melhor de qdo nem isso podia.

nóssinhora, errrar é um tezão.
degustem seu amanhã.
iscruzive,
por todos que não os tiveram.


Notícia importante

Bata 2 xícaras de açúcar com 200g de manteiga, com algumas gotas de essência de baunilha até branquear. Acrescente 4 gemas, uma a uma, batendo sempre, até levantar bolhas. Peneire 2 xícaras de farinha, 1 xícara de maizena e 1 colher de sobremesa de fermento em pó, acrescentando pouco a pouco 1 xícara de leite, sem parar de bater. Em separado, bata as 4 claras em neve com uma pitada de sal. Misture as claras delicadamente à massa e asse em forma untada e polvilhada com farinha de trigo, em forno médio, por aproximadamente 40 minutos.

Amanhã, neste mesmo espaço, seleta das estrofes d'Os Lusíadas, de Luís de Camões.


A volta dos que não foram

Eu me lembro, garoto ainda, de uma gozação favorita que pais, tios e demais adultos gostavam de impingir às crianças: perguntar a opinião delas sobre filmes supostamente famosos, se tinham visto, o que tinham achado, se eram bons mesmo, etc. Lembro de três pegadinhas dessas, “Poeira em alto mar”, “As tranças de um careca” e o que dá nome a este post, mas tenho certeza de que havia mais. De qualquer modo, resolvi voltar a colaborar neste prestigioso espaço internético pelas razões que se seguem:

-- para confirmar o veredito de um ex-blogueiro famoso, atual twitteiro de sucesso, que dizia ser impossível a um verdadeiro blogueiro negar sua própria essência bloguística;

-- por não ver, seja em veículo impresso ou em bits, nenhuma análise séria que mostrasse as reais ligações entre a ascensão de Dilma Rousseff e a queda de Muricy Ramalho do comando do Palmeiras;

-- por não ver, igualmente, ninguém fazendo a conexão óbvia entre a futura captação de 51 bilhões de dólares pela Petrobrás e as recentes declarações de Luiz Gonzaga Belluzzo sobre o futuro da agremiação palestrina;

-- por perceber que são poucos os comentadores atentos dispostos a admitir que o destino do país, sua inserção mundial pós-Copenhagen, a correta avaliação do impacto do pré-sal e demais questões deste novo milênio verde-amarelo estão em estreita dependência da trajetória tortuosa, imprevisível e no entanto fascinante do time alviverde da Rua Turiassu;

-- enfim, para que eu pudesse ter, a cada dois ou três dias, algo agradável e divertido de se ler na internet, além das colunas do Luis Nassif e do Reinaldo Azevedo.

Abraços e beijos,
Zeno Cosini
P.S.: Aproveito também para desmentir boatos de que eu teria me transferido para a Grande Mídia, desde o final do ano passado, mediante soma vultosa. O dinheiro era mixo, mas eu aceitei mesmo assim.


Voltei, pra rever os amigos que um dia

Queixa-se a nanoaudiência, mas não sabe o que é a pessoa: 1) ter assinado e estar lendo Folha de S.Paulo toda manhãzinha; 2) diariamente, tomar o metropolitano em direção à São Paulo profonde com uma lotação e um bafo que nem vos conto e 3) arcar com os custos morais e materiais da ausência do Zeno neste prestigioso espaço.

Eis que mais por isso que por qualquer outra coisa, excluindo-se o Twitter e o Facebook, não tenho dado as caras por aqui. E olhe que assunto não faltou: desde o fôlego de guepardo Palmeiras à visita do Ahmadinejad. mas passamos batido, fazer o quê? Peço compreensão e subscrevo as palavras do Lama, que é homossexual, tão bem postas aí embaixo.


sobre homens e lobos

regularidade. uma das coisas que mais me irritam eh essa mania pela regularidade. nas relacoes, entao, deusmelivre. basta vc ir jantar com a moça 2 ou 3 vezes no mesmo dia da semana que aquele dia passa a ser o dia do jantarzitcho a 2. ai vc nao aparece e, pimba! vai ter que aguentar uma puta chatiação. ah! e nao to falando so de mulher, nao. - Pô, cara! Mas hj é dia do pôquer! Vc não vem pq? Enfim, todos temos um pequeno principe aberto na pg 38 colado no cerebro. pois bem, este blogue passa por problemas. seus autores, parte deles, andam ocupados. a gente nao sabe por qto tempo. o fato é que se não estao aqui, ou estao tuitando, ou tentando revolucionar as bases das ciiencias humanas. ou, por incrivel que pareca, tentando ganhar a vida honestamente, Os que ficaram nao conseguem, sozinhos, concatenar palavras com a voracidade que vcs, leitores, merecem. Se a pergunta é: o blogue vai acabar? Não, não vai. Ele est´å em sua melhor forma? Não, não esta (se bem que outro dia me disseram que a gente tava postando menos bobagens atualemnte). O que vai acontecer então? vamos aguardar. lembrem-se que a regularidade é cacete, babaca e só gente tonta gosta. Vão se divertindo com o mandaca e o george que sempre foram os mais inspirados mesmo. antes de vcs desistirem colocaremos gente nova por aqui. mesmo que sejam os antigos. curriculos para a redação.


Congratulações em (menos de) 140 caracteres

Zeno, te mandei os parabéns pelo Twitter. Abç.


Round up the usual suspects

Já houve um post [correção tardia do Zeno: já houve vários] com este exato título no passado, minhas senhoras e meus senhores. Procurem e acharão, como diz a Bíblia, mas a razão deste em particular é outra: é comentar o fato de que não o injustamente acusado Twitter, e sim o quase incólume Facebook, pode ter sido a pá de cal no Hipopótamo Zeno GmbH.

Eis que outro dia flagramos o nosso ex-acionista maior, Zeno Cosini, minhas senhoras e meus senhores, logo ele que tanto detratava a referida agremiação, desfilando por lá a sua beleza, a sua nonchalance e o seu witticism, em detrimento da prestigiosa nanoaudiência que tanto nos honra, mesmo à beira da sepultura.

Seria o caso de repetir aqui a Oração aos Moços ou algo equivalentemente gongórico, mas pouparei a todos. Meu coração sangra.


Seis anos esta manhã

O Hipopótamo Zeno faz, ou melhor, fez exatos seis anos na semana passada, no dia 22 de outubro, mas quem ganha o presente é você: este é meu último post para o botequim. Seis anos atrás, eu estava às voltas com um doutorado encalacrado, uma vida encalacrada e um sujeito que me atazanava sempre que possível com a pergunta "vamos montar um blog?". Seis anos depois, Sorel, o autor da pergunta, Bandini, Pinto, George Smiley e DJ Mandacaru foram os responsáveis por alguns dos melhores momentos presenciais e virtuais que tive desde então, e a eles compete seguir com o balcão de bebidas aberto, para o deleite desta nano que foi sempre mais perspicaz e divertida que a gerência do lado de cá. Sorte a minha, de virar também leitor.


.:: :: :: :: :: :: leia os posts anteriores :: :: :: :: :: ::.