:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Requiescat in pace



Pois é, a D. Lena Horne. Papocou domingo agora, com 92 anos. Para a geração do meu pai, era um monumento. A primeira mulata a fechar o comércio da Rodeo Drive na década de 40. Fosse brasileira, seria barbada para Miss Renascença, teria complicado a carreira da Adele Fátima, a musa do nosso editor-em-chefe, ou da Marina Montini, por quem babava nosso correspondente no hinterland paulista.
Dona Lena também era uma moça de cabelinho na venta: enfrentava quaisquer manifestações racistas, que não eram poucas na época, nos EUA. Se você tem interesse na vida dela, acabou de sair uma biografia bacaninha, do James Gavin, por menos 11 dólares tu arrasta ela na Amazon.

Era melhor performer do que cantora, o que não quer dizer que não cantava bem. Se vocês duvidarem, peguem aí uma seleção que fiz de uns sete discos dela, here, there and everywhere. Só filé.

posted at 09:38:01 on 12-05-2010 by DJ Mandacaru - Category: A hora do DJ Mandacaru


Comentários

Zeno wrote:

Já que ninguém agradece, agradeço eu: que pusta seleção, hein? Gostei iscrusive da provocação, "mais performer que cantora". A ver, ver...
14-05-2010 19:17:04


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo