:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

I might have saved her; now she's gone forever!

"Será que dessa vez tu me arruma uma capa da <i>Contigo</i>, Zeno?"

De todas as atrizes shakespeareanas que passaram pelo sofá-crivo do nosso editor-em-chefe, nenhuma -- nem de longe -- tocou tão fundo a alma desse crítico de coração empedernido.
Jayne Mansfield, declamando poemas de Marlowe, Browning, Wordsworth, Shelley, Constable, Byron e William, com a música de Tchaikovski aclimatando o ambiente, é de empalidecer a atuação de, digamos, Regina Duarte ou Giulia Gam.

Depois do download, leitorado, qualquer um de vocês está mais do que preparado para enfrentar uma contenda com o Zeno.
Às armas, cidadões.


Jayne Mansfield: Shakespeare, Tchaikovsky & Me (1963)
(73MB @320)

Link alternativo

posted at 16:43:15 on 25-04-2011 by DJ Mandacaru - Category: A hora do DJ Mandacaru


Comentários

Zeno Bardo wrote:

Há sempre duas boas razões para se gostar da Jayne Mansfield. Sempre.
25-04-2011 16:47:20

Renato K. wrote:

Daffodils ali no 23 é um título TÃO apropriado, nénão?
25-04-2011 17:55:08

DJ De Milus wrote:

Isso pra não falar da 17: podia tocar no preferido do Pinto, o Man Stuff.
25-04-2011 19:37:10

Paulo Alberto wrote:

Zeno,
Dizer obrigado, é muito pouco!
Você não imagina a curiosidade e o desejo, que, eu tinha, de ouvir um dia, este LP da inesquecível Jayne Mansfield.
Pensei que iria morrer, sem realizá-lo, pois, jamais o encontrei postado, nem para venda.
Ah ... esta mulher foi uma Deusa, linda, talentosa, divertida, inteligente e muito sexy, totalmente desejável!
Agradecido, auguro vida longa à seu Blog, e toda a felicidade, possível, para você.
Atenciosamente,
Paulo Alberto (Niterói)
07-05-2011 01:37:06

Zeca Pinheiro wrote:

Zeno

Brincadeiras a parte, confesso, que me surpreendi, com a performance da loura, Jayne Mansfield, neste LP.
Lembrava-me dela, no cinema, fazendo os habituais papéis de loura burra, onde, apenas, desfilava a sua beleza escultural.
Porém, ela, se mostra muito a vontade, ao interpretar estes poemas clássicos, e o faz, com muita leveza, sutileza, naturalidade e emoção.
Creio, que, se não fosse, a péssima capa do disco, que, remete a uma paródia, provavelmente, o referido LP, tivesse, atingido o seu obetivo, ou seja, revelar novas possibilidades para a carreira dela.
Mas, valeu a postagem, é sempre bom, recordar estas lindas mulheres, que fizeram a história do cinema mundial.
Abraços,
Zeca Pinheiro (RJ)
17-05-2011 01:12:12


Incluir comentário

Este post está fechado. Não é possível adicionar novos comentários a ele ou votá-lo