:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

Um post não-autorizado, o primeiro da década

Escrevo à força. Já tinha abandonado isso aqui. Caso não postasse algum registro hoje me ameaçaram com revelações públicas da minha vida dignas de corar uma Paula Lavigne. E isso porque não fui membro fundador dessa bagaça. Entrei aqui por convirte, que nem os vampiros nos filmes. Só para evitar esse dano à minha vida privada, que ficou dez anos mais respeitável neste ínterim —também, pudera...—, é que voltei para bater um pontinho só. Mas aí não tenho mote para escrever. Comemorar o quê?

Em 2003 a vista da minha janela era o Pão de Açúcar, hoje é a antena da Embratel escondida atrás da fumaça. Meu colesterol estava em níveis razoáveis, não me faltavam esses fios de cabelos no cocoruto, eu estava na faixa etária de uns dez quilos a menos e a caixa de comentários desses posts ficava cheia até a tampa. O convívio, ainda que esporádico, com os outros sócios deste botequim piorou todos estes indicadores e uns outros que meu apego lavigniano à privacidade me impede de mencionar. Me tomem por um indivíduo ranzinza, jamais por falso.

Ainda bem que isso existe, entretanto. Não suporto nem imaginar como seria viver em São Paulo nesse cenário e com essa perspectiva sem os camaradas de copo e de cruz que eu fiz por causa do Zeno.

Que venham os próximos dez, mas enquanto isso eu vou ali no geriatra.

posted at 14:25:57 on 22-10-2013 by Pinto - Category: Tectum Intuentes


Comentários

DJ Matusa wrote:

A fase da aceitação é digna, velho Pinto.
Mas entra na fila do consultório.
22-10-2013 14:39:38

Rachel wrote:

Mas o mau humor... Continua igual
08-11-2013 12:16:39


Incluir comentário