:: home :: posts passados :: etilíricas :: je me souviens :: microcontos ::


.:: post anterior :: :: :: :: navegue pelos posts :: :: :: :: próximo post ::.

shall we dance?

cabei de ver de novo o dito.
o original, desde 98, o japonez.

(pq teve um troço merigano despues)

agora c/ fontes das mais fidedignas.
e, pqp, que filme legal.

e que hora legal, então (é, os caras tavam começando a se quebrar, do sonho neolibê, td lá indo pro quiabo, a começar das relações) de fazer um filme desse.
além de belo, esse filme salvou 1ns milhão de casamento no jp de então.

só pelo bailar no fio da navalha entre tezão e amor.
e só, e só mesmo, por causa das mulheres.

continuava uma caretice fantasmando um monte de moleques, de várias idades, que nada tinham a ver c/ a m. daquela deseconomia existencial dos véio de então e de sempre.

(então, então, então, quanto então)

são essas as grande beleza: os cara, lá do japão, comendo o cinema italiano sobre o amor.

e sempre a respeito das mulheres, jamais fora disso.

viram o baile, do e'scola, e ficaram putos: qui caralho, cumé qui ainda num fizemo um traço desse aqui?

e deu nisso, um puro amor.
pelo fio das vossas navalhas verticais.
e faz quase 20 anos.
ai que delícia.

inda mais pq ainda permanece a pergunta do filme:
vc frequenta aqui por prazer ou por prática, bem...?

posted at 04:05:05 on 08-03-2014 by George Smiley - Category: Filmes esquisitos


Comentários

Sem comentários


Incluir comentário